Padre Cícero Machado

Em 29/08/2017 às 14:17h

Uma nova Igreja - De Pedra e de Pedro

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

Houve um tempo em que Jesus estava cansado de ouvir falar mal dele, falavam mal, colocavam apelidos, xingamentos. Houve quem o chamasse de Belzebu. Belzebu é o príncipe dos demônios. Armavam armadilhas. Certa vez jogaram uma prostituta aos seus pés, vocês bem conhecem quem é, é a Maria Madalena, jogaram ela aos pés de Jesus achando que ele iria apedrejá-la. Ele, simplesmente, disse que quem não tivesse pecado que atirasse a primeira pedra.

E assim foram muitas e muitas vezes. Chegaram ao ponto de leva-lo ao alto de um precipício para atirá-lo lá de cima, e na última hora, desistiram.

Jesus não se cansou de tentar faze-los entender que a Religião tem de cuidar dos mais pobres, das viúvas, dos órfãos, dos doentes, dos que estão perdidos e precisam de abrigo. Religião é serviço. Mas eles não queriam entender, e ainda mais, achavam que estavam certos. Brigavam com o Mestre porque ele comia com os cobradores de impostos e com as prostitutas. Certa vez tiveram o desplante de chamar o mestre de Beberrão e comilão.

Realmente, chegou uma hora em que o mestre se cansou. Essa gente má, louvava a Deus com os lábios mas seus corações estavam cheios de perfídia e de maldades. Raça de víboras, gente falsa e hipócrita. Eles frequentavam a sinagogas e andavam bem vestidos pelas praças, mas estavam cheios de maldades. Sepulcros caiados.

Diante disso tudo Jesus desistiu de frequentar as sinagogas deles e seus templos, resolveu criar uma nova maneira de se reunir em nome de Deus. Realmente, não dá para a gente se relacionar com quem vive falando mal da gente. Essas pessoas acabam fazendo a gente sentir dentro de nós sentimentos que nunca queríamos sentir. Por isso, o Mestre resolveu deixá-los de lado, e buscar outros caminhos para implantar o seu projeto de mais amor, carinho, e cuidado entre os homens, onde todos pudessem conhecer Nosso Deus Pai, o Criador, e ter uma humanidade feliz onde todos pudessem amar uns aos outros.

Foi aí então que Ele pensou em pessoas que pudessem religar as coisas da terra com as coisas do céu. Daí Jesus chamou Pedro para ser a pedra fundamental onde Ele iria edificar a sua Igreja. E ainda garantiu que as portas do inferno nunca prevaleceriam contra a sua Igreja.

Mas até hoje estas portas do inferno lutam contra a Igreja de Cristo. Pudemos acompanhar atualmente pelo WhatsApp um vídeo em que um pastor de uma igreja pentecostal, compara nossa Senhora Aparecida com uma garrafa de Coca-Cola, falando mal da Mãe de Jesus e ainda chamando a Santinha de coisa preta. Altíssimo grau de Preconceito e acima de tudo desrespeito com a Igreja que Cristo quis.

Contudo a Igreja permanece na história e perpassa todas essas ignorâncias. Falaram mal do próprio Cristo, tanto fizeram que o mataram. Mas A Igreja que Ele deixou o traz presente em todas as missas, ele está ali, ele mandou fazei isso em memória de dele. Ele instituiu a Eucaristia. Não quis mais as sinagogas, nem os templos falsos de Salomão, ou Jerusalém, ou seitas como tantas que até hoje vemos por aí. Ele quis que os batizados se reunissem. E aqui estamos sobre as ordens de Pedro hoje tão bem representada pelo papa Francisco.

Nosso Bom dia de hoje vai para todos que sabem dizer quem é Jesus Cristo, e o buscam lá na sua Igreja, ou numa capelinha perto de sua casa, ouvindo sua palavra, e seus ensinamentos. Comendo do Seu Corpo e bebendo do seu Sangue, ele está lá. Vá procura-lo. Ele quis assim e que seja assim dentre nós.

Pe. Cícero Machado Ribeiro



ORAÇÃO PARA REZAR E MEDITAR

Querido DEUS!
Obrigado, Senhor, por mais um dia que me dás, pelo alimento à minha mesa, pela família da qual sou parte, por amar aos meus irmãos, por buscar sempre ser justo, por saber perdoar as ofensas, pela consciência das minhas faltas. Obrigado, Senhor, por crer em ti, por amar a tua igreja, pelo bem que pude praticar, pelo mal que eu soube evitar. E porque me deste a fé, me alimentas a esperança, e me fazes filho da tua caridade,Eu agradeço por me lembrar que sou Teu filho(a).
Agradeço por me mostrar que sou protegido, guiado e iluminado pela Tua presença divina no mais íntimo do meu ser.Agradeço, Senhor, por me dar abrigo na tempestade, por endireitar o que esta torto, por criar saídas onde parece não haver escapatória.
Agradeço por me perdoar quando eu não posso ou não quero perdoar a mim mesmo.
Agradeço, Senhor, pela Tua compaixão, pela Tua graça, pela Tua bondade, que estão sempre presentes, sustentando-me nos momentos mais difíceis.
Agradeço, Senhor, por não me deixar esquecer que o Senhor habita em mim e é a força que dá vida a minha alma.
Agradeço, Senhor, pela pessoa que sou. Por estar na tua Igreja, por ser membro do teu Corpo Místico.
Que Assim Seja. Amém!

Músicas relacionadas: Música 1: O padre - Pe. Antônio Maria e Elba Ramalho.

Música 2: Agradecimento - Padre Antônio Maria - (Álbum Com Vida) oficial


Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Pe. Cícero Machado Ribeiro, msc

Em 16/08/2017 às 11:02h - Atualizado em 16/08/2017 às 13:06h

Coisa Velha é a Família

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

Os relatos mostram que Deus pensou a família de uma forma tão bonita. O livro do Gênesis conta de uma forma até poética e romântica como Deus pensou a família. E se pensarmos bem, é desse jeito mesmo que surge uma família: primeiro se prepara a casa... Assim Deus fez, ele preparou a casa! Como um pai construindo a casa do filho que vai se casar. Arrumou as luzes. Pôs luzeiros no céu. Fez um teto de estrelas. Depois colocou água na casa, para fazer comida, para se banhar, para molhar as plantas. Depois fez um lindo quintal que chamou de terra, onde ele plantava e se podia arranjar comida, fez um lindo quintal. Colocou flores. Fez um teto e pintou de azul o enfeitou de estrelas, colocou bichos no quintal, fez um lindo aquário cheio de peixes e um viveiro de pássaros para cantar e encher de músicas e sons aquela casa que ele estava construindo... Água, terra, bichos, teto azul, sons, música dos pássaros, sol, lua, estrelas e relva macia para dormir. A casa estava pronta para morar. Mas faltava a família. Então chamou o filho à vida. Soprou nas suas narinas e eis que chegou Adão. Criou o homem e do sonho do homem tirou a mulher. Interessante que quando Eva foi criada, ela foi tirada da costela de Adão, mas adão estava em sono profundo, sonhando pesado. Isso quer dizer que a mulher nasceu de um sonho. A família nasce de um sonho sempre do homem e da mulher, os dois sonham e Deus realiza os sonhos. Quando uma pessoa casa ela tem o sonho de ser feliz, de ter filhos de cria-los juntinhos, e de morrer velhinhos. Isso é a coisa mais antiga do mundo. É a coisa mais velha...

Nós nos acostumamos a dizer que as coisas ficaram velhas. Que precisamos de novidades, de coisas novas. E nessa onda acabamos deixando de lado coisas velhas que estão sempre novas. É preciso retomar esta coisa antiga e sempre nova chamada família. Onde os sonhos se realizam. Onde as esperanças se consolidam. Onde um é esteio do outro. Onde todos contam com a presença de Deus, caminhando em seu quintal. Se o novo que as pessoas querem vai promover a dor, sofrimentos, separações, saudades dos filhos de pais separados, até por motivos banais que separam as pessoas, eu, sinceramente, prefiro ficar com as coisas antigas. E, se quiser chamar de velhas, eu também aceito. Pois Deus, na sua sabedoria criou a família e pensou perfeitamente como ela deveria se constituir. Infeliz daquele que chama de velho o que é sempre novo, e quer viver coisas novas se juntando sem benção do pai, sem escutar os conselhos dos velhos, e de Deus Pai, preciso avisar a essa gente que, fatalmente, correm um grande risco de serem expulsos do paraíso e nunca mais poder entrar.

O melhor e preferir viver seu amor à moda antiga. Com quintal, bichos, flores, um pouco de comida, e uma costelinha para se agarrar nas noites de frio e na hora do cansaço. Parabéns para você que acredita na família tão grande assim.

PARA REZAR E MEDITAR

Ó Deus, de quem procede toda paternidade no céu e na terra, Pai, que és Amor e Vida, faz que cada família humana sobre a terra se converta, por meio de Teu Filho, Jesus Cristo, "nascido de Mulher", e mediante o Espírito Santo, fonte de caridade divina, em verdadeiro santuário da vida e do amor para as gerações que se renovam. Faz que Tua graça guie os pensamentos e as obras dos esposos para o bem de suas famílias e de todas as famílias do mundo. Faz que as jovens gerações encontrem na família um forte apoio para sua humanidade e seu crescimento, na verdade e no amor. Faz que o amor, reafirmado pela graça do Sacramento do Matrimônio, revele-se mais forte de qualquer debilidade e qualquer crise, pelas quais às vezes passam nossas famílias. Faz, finalmente, te pedimos por intercessão da Sagrada Família de Nazaré, que a Igreja em todas as nações da Terra possa cumprir frutiferamente sua missão na família e por meio da família. Tu que és a Vida, a Verdade e o Amor, na unidade do Espírito Santo. Amém!

Cantos relacionados para ajudar a rezar e meditar:

Música 1: Famílias do Brasil - Padre Zezinho.
Música 2: Restaura a família - Reginaldo Manzotti


Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Paróquia São Paulo, Pe. Cícero Machado Ribeiro, MSC

Em 09/08/2017 às 17:09h

Estar com Deus

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

Conta a história que Jesus subiu um monte chamado Tabor, e lá mostrou a figura de seu corpo cheio de luz. Alguns Teólogos, pessoas que estudam os acontecimentos da bíblia, nos explicam que Jesus queria mostrar como seria o corpo dele depois que Ele ressuscitasse. Conta-se, também, que ele levou consigo três apóstolos: um se chamava Pedro, outro se chamava Tiago e o outro se chamava João. Somente estes três. Para esses três ele mostrou um pedacinho do céu. Conta-se ainda que os três ficaram com muito medo de ver o céu, porque lá, eles, ao levantar os olhos viram gente que que já tinha morrido. Sério, apareceram Moisés e Elias. Moisés vocês são bem que é: É aquele que tinha atravessado o mar vermelho a pé enxuto e libertou o povo da escravidão, e Elias aquele que tinha sido arrebatado numa carruagem de fogo e levado para o céu. Os três ficaram com tanto medo porque, além disso, ouviram uma voz que vinha de uma nuvem e dizia: este é o meu filho amado escutem o que ele diz. Ai mesmo que eles enfiaram o rosto na terra e não queriam nem ver o que estava acontecendo. Foi quando Jesus com o rosto cheio de Luz, tocou neles e disse para eles: deixem de ser medrosos. E não contem para ninguém o que vocês estão vendo aqui. Pelo visto eles desobedeceram ao Mestre porque até hoje se conta esta história. Pedro até escreveu uma carta contando que isso. Ele diz na sua carta que isso não é história da carochinha não, que ele esteve no céu com Jesus antes de Jesus morrer e lá viu gente que já tinha morrido e que estava viva novamente.

É intrigante que Jesus, que tinha 12 alunos, 12 discípulos, não levou os 12, mas apenas três deles. Porém, sabendo que Jesus é muito sábio, levou três pessoas bem significativas: O primeiro é Pedro, e Pedro é o chefe da Igreja que ele ia deixar aqui depois de sua morte. E que Pedro deveria saber como é o céu e levar para o céu todos os que fossem batizados. O primeiro Papa, o sumo pontífice, a ponte entre o céu e a terra.

O outro foi Tiago, seu primo, filho de Maria de Cléofas, a "irmã da sua mãe Maria de Nazaré, Nossa Senhora. Esse era o seu parente.

O terceiro é João, simbolizando os amigos. Com isso Nosso Senhor Jesus Cristo, mostrou que quem nos leva para o céu é a Igreja. Ela nos ensina o caminho, e lá vamos encontrar nossos parentes, e nossos amigos. Assim Jesus nos mostrou o Reino de Deus, para onde vão nossos parentes e amigos. Lá todos nós nos encontraremos. No mês das vocações somos chamados a ir para a Igreja, e viver a nossa vocação de sacerdotes, como o papa, de parentes como os pais, de irmãos como as freiras e os frades e de amigos como os catequistas.

Então, o Céu vai ser mesmo maravilhoso... Mas por enquanto vamos fazendo da terra um pedacinho do céu até que possamos todos nos encontrar lá, e ver Deus face a face.

ORAÇÃO

Senhor, meu primeiro pensamento nesta manhã que começa se dirige para Ti,
Que velaste meu sono e assististe o meu despertar. Tu moras nas alturas e habitas bem no íntimo de minha vida
E todo esse dia é Teu. Consagro-Te agora a jornada que começa.
Que meu trabalho seja fecundo com o orvalho do teu amor e a força da tua benção.
Em vão trabalham os homens se Tu não os ampara.
Permite que eu possa responder claramente a todos a respeito da esperança que existe em mim.
Que todos aqueles que eu encontrar possam receber uma palavra amiga de meus lábios, um gesto acolhedor de minhas mãos e uma oração sincera
Do meu coração. Olha na mesa dos homens pobres De que possam se alimentar para recuperar as forças e continuar a caminhada da vida.
Que hoje à noite, eu possa estar novamente Contigo, na intimidade, como alguém que reencontra um amigo, para poder dar graças pelo dia que me deste.
Obrigado por mais este dia, e, se por acaso, minhas forças faltarem que eu possa estar contigo e viver para sempre no céu com meus parente e amigos, Senhor!
Nada mais te peço, somente a tua graça me Basta. 


Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Paróquia São Paulo, Pe. Cícero Machado Ribeiro, MSC

Em 01/08/2017 às 11:14h

Alunos de Cristo: Nota 10 na vida

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

Mês de agosto, mês das vocações, todas as vocações estão em busca e a serviço do Reino de Deus. Todos somos alunos do Mestre, os padres, os pais, religiosos e religiosas, catequistas e leigos. Jesus gastou muitas aulas para ensinar a gente toda o que é o ser discípulo e a tantas outras pessoas o que era o Reino dos Céus. Alguns alunos foram bem aplicados e compreenderam logo. Outros ficaram de má vontade e não quiseram nem dar ouvidos, como estes tipos de alunos que temos em nossas escolas que não querem saber de nada. Que só querem bagunça. Custam a aprender as coisas e depois ainda falam mal do professor. A esses Jesus chama de surdos, mudos e cegos: Tem ouvidos, mas não querem ouvir. Jesus não perde muito tempo com esse tipo de aluno, não. Mas com aqueles que querem ouvir ele age como o melhor dos professores. Ele se desdobra, ele não se cansa, e se debruça sobre a mesa para ensinar até que seu aluno aprenda, entenda e além disso também saiba ensinar. O bom professor é assim: sempre arruma um jeitinho de mostrar a matéria de uma forma bem clara. Usa imagens, brincadeiras, conta histórias, inventa moda ele faz de tudo desde que seu aluno aprenda. Assim era Jesus, ele inventava histórias e estorinhas, contava parábolas, inventava situações para que seus alunos conseguissem entender tudo o que ele queria ensinar. Ele era incansável e muito criativo.

Nesta semana toda quem quiser ser um bom aluno e aprender uma porção de coisas que o Nosso Professor, o Mestre Jesus quer ensinar, eu quero dar um conselho. Leiam os evangelhos desta semana. Jesus está contando nos evangelhos desta semana uma porção de histórias para ensinar o que é o Reino dos Céus, e o Reino de Deus. Avida dele foi toda só para isso. Aprendendo isso e colocando em prática já estamos no céu. Tá muito bom. Ele fala das pérolas, e das sementes, do fermento, e dos campos, onde está escondida toda a sabedoria. Ele é genial.

No final de tudo, os alunos mais aplicados, os que mais aprenderam ficaram admirados com as palavras cheias de encanto que sai da sua boca e da sabedoria com que fala das coisas de Deus.

Tão bom aprender as coisas de Deus. Porque como todo aluno que se preza deve passar por provas, todos nós, alunos de Jesus também deveremos passar pelas provas, as vezes essas provas são tão difíceis, tão duras, tão dolorosas, mas para quem estudou com o Mestre Jesus, acaba tirando de letra e tirando nota Dez, e o diploma é nada mais, nada menos, que ser feliz aqui no Reino dos céus e ganhar uma coroa de ouro lá no Reino de Deus.

Eu quero hoje dar os meus parabéns a todos aqueles que se dedicam a aprender as coisas que Jesus quer ensinar. Esses tiram notas boas na vida e jamais ficarão de recuperação. Nosso bom dia com Cristo vai para você querido aluno e discípulo do Senhor, que vai ter de fazer muitas provas, mais vai tirar só notão na escola da vida.

 

PARA MEDITAR

Pai de misericórdia,

Que destes o vosso Filho pela nossa salvação e sempre nos sustentais com os dons do vosso Espírito, concedei-nos comunidades cristãs vivas, fervorosas e felizes, que sejam fontes de vida fraterna e suscitem nos jovens o desejo de se consagrarem a Vós e à evangelização. Sustentai-as no seu compromisso de propor uma adequada catequese vocacional e caminhos de especial consagração. Dai sabedoria para o necessário discernimento vocacional, de modo que, em tudo, resplandeça a grandeza do vosso amor misericordioso. Maria, Mãe e educadora de Jesus, interceda por cada comunidade cristã, para que, tornada fecunda pelo Espírito Santo, seja fonte de vocações autênticas para o serviço do povo santo de Deus.

 

Tema: «A Igreja, mãe de vocações»

MENSAGEM DO PAPA FRANCISCO PARA O 53º DIA MUNDIAL DE ORAÇÃO PELAS VOCAÇÕES (17 DE ABRIL DE 2016)

 

Amados irmãos e irmãs!

Como gostaria que todos os batizados pudessem, experimentar a alegria de pertencer à Igreja! E pudessem redescobrir que a vocação cristã, nasce no meio do povo de Deus e são dons da misericórdia divina! A Igreja é a casa da misericórdia e também a «terra» onde a vocação germina, cresce e dá fruto.

Por este motivo, dirijo-me a todos vós, convidando-vos a contemplar a comunidade apostólica e a dar graças pela função da comunidade no caminho vocacional de cada um. A ação misericordiosa do Senhor perdoa os nossos pecados e abre-nos a uma vida nova que se concretiza na chamada ao discipulado e à missão. Toda a vocação na Igreja tem a sua origem no olhar compassivo de Jesus. A conversão e a vocação são como que duas faces da mesma medalha, interdependentes continuamente em toda a vida do discípulo missionário.

Um dos passos da vocação é a adesão à comunidade cristã da qual se recebeu o testemunho da fé e a proclamação explícita da misericórdia do Senhor. Esta incorporação comunitária compreende toda a riqueza da vida eclesial, particularmente os Sacramentos. A Igreja não é só um lugar onde se crê, mas também objeto da nossa fé; por isso, dizemos no Credo: «Creio na Igreja».

Deus chama-nos a fazer parte da Igreja e, depois dum certo amadurecimento nela, dá-nos uma vocação específica. O caminho vocacional é feito juntamente com os irmãos e as irmãs que o Senhor nos dá: é uma con-vocação. O dinamismo eclesial da vocação é um antídoto contra a indiferença e o individualismo. Estabelece aquela comunhão onde a indiferença foi vencida pelo amor, porque exige que saiamos de nós mesmos, colocando a nossa existência ao serviço do desígnio de Deus e assumindo a situação histórica do seu povo santo.

Neste Dia dedicado à oração pelas vocações, desejo exortar todos os fiéis a assumirem as suas responsabilidades no cuidado e discernimento vocacionais. Quando os Apóstolos procuravam alguém para ocupar o lugar de Judas Iscariotes, São Pedro reuniu cento e vinte irmãos (Atos 1, 15); e, para a escolha dos sete diáconos, foi convocado o grupo dos discípulos (Atos 6, 2). São Paulo dá a Tito critérios específicos para a escolha dos presbíteros (Tt 1, 5-9). Também hoje, a comunidade cristã não cessa de estar presente na germinação das vocações, na sua formação e na sua perseverança (cf. Exort. ap. Evangelii gaudium, 107).

 

Para rezar e cantar

Música 1: Cidadão do Infinito - Pe. Zezinho.

Música 2: O padre - Padre Antônio Maria e Elba Ramalho

Música 3: O chamado - Maria do Rosário, Jean Carlo e Padre Antônio Maria

Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Paróquia São Paulo, Pe. Cícero Machado Ribeiro, MSC

Em 01/08/2017 às 11:10h

Editorial do Bom dia com Cristo

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

Não são poucas as vezes em que ouvimos Jesus falar de sementes e plantios, agricultores e pastores. Para ele o simbolismo das coisas e das atividades da vida dos homens sempre foram muito significativas. E todas as vezes em que ele fala nos encanta a beleza, a verdade e a ternura com que fala. E olha que o que Jesus aprendeu foi o oficio de carpinteiro, ele era carpinteiro filho de carpinteiro. Eu gosto muito de Dizer que Jesus foi um adolescente muito parecido com qualquer outro adolescente. Eu digo isso porque a adolescência começa aos doze anos, quando acaba aquele período descompromissado da infância, e muitas mudanças começam a acontecer no corpo e na mente. Não foi muito diferente com Jesus. Foi nesta época dos seus doze anos, vocês devem lembrar, que ele fugiu dos pais dele. Quase deixou Maria e José loucos, procurando Ele e foi se meter lá no meio dos doutores da lei para discutir com eles quinem gente grande. Menino "danadinho" aquele. Ele disse que estava cuidando das coisas do pai dele. Mas graças a Deus seus pais o encontraram e ficou tudo bem. Maria ia guardando essas coisas em seu coração.

Daí por diante não ouvimos mais falar de Jesus. Ele vai aparecer dezoito anos depois quando já estava com 30 anos de idade. Nós havemos de nos perguntar, o que este menino ficou fazendo esse tempo todo? E não será muito difícil de responder: Basta olhar e ver como ele fala tão bem das coisas da vida. Fala dos reis e dos que não são reis... Fala dos pastores e das ovelhas, sem nunca ter tido uma fazenda sequer de gado. Fala dos agricultores e das sementes, sem nunca ter tido uma plantação. Fala dos administradores e dos vinhedos... Das montanhas e dos lobos, das pescarias, dos peixes, dos pescadores e de tantas outras coisas. Esse era o menino, o garoto, homem feito Jesus. Olhando tudo isso, vemos que Este Menino Deus aprendeu das sementes que devem morrer para viver de novo, aprendeu dos cordeiros que vão mudos para os matadouros, aprendeu que nas tempestades dos mares da vida apenas a força da fé pode acalmar, aprendeu dos reis que o melhor rei será aquele que se fizer servo e que quiser ser o último. Aprendeu que só vale a pena viver se a vida pode ser devolvida a com alegria numa taça de vinho fruto da semente que caiu em terra boa. E, enfim,  aprendeu que a mundo não acaba aqui, que a vida não acaba aqui, que a dor sim acaba aqui, e que nem qualquer dor e a morte nunca terão a última palavra na vida de quem soube ser um bom menino, um bom garoto e um homem de fé. 

Para todos que vivem cada dia da vida aprendendo de Jesus tudo o que ele viveu e quer nos ensinar Deus tem um destino de felicidade.

Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Paróquia São Paulo, Pe. Cícero Machado Ribeiro, MSC

Fotos

Rua Dr Afonso Canedo, 47 Muriaé - MG, 36880-000 - 32 3722-2363 | Todos os direitos reservados a Paroquia São Paulo

Todos os direitos reservados a