Padre Cícero Machado

Em 23/06/2016 às 10:30h

A Emoção de Construir a Casa da Mãe

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

É muito bom compartilhar emoções. Mal sabemos o que poderia mexer com nosso coração. Por vezes coisas tão pequeninas mexem com a gente e nos faz os olhos arder, e não tem jeito, as lágrimas escorrem e no meio das lágrimas nos vem junto o sorriso da alegria e se misturam as emoções. Os olhos ficam embaçados descobrirmos então que estamos emocionados. A emoção é uma coisa muito interessante, ela vai contagiando todo mundo. Ainda mais quando esta emoção envolve uma porção de gente na mesma emoção.

Vocês devem estar pensando: Meu Deus, de que será que o padre Cícero está falando? - Pois bem, vou contar para vocês. O que me está comovendo foi a emoção de uma missa que celebrei. Num lugarzinho que não tem Igreja. Que só tem um barracão de telha de amianto sem paredes, alguns bancos, e lá no fundo uma imagem de nossa Senhora das Graças, linda e de braços abertos. Lá se reúnem, todos os domingos, um bocadinho de gente, umas senhoras, umas famílias, devotos e devotas de Nossa Senhora. Sempre antes da missa, anos a fio, aquela gente carrega de suas casas os utensílios para a missa: as toalhas, as roupas, as caixas de som... Como formiguinhas, montam toda as coisas para missa, mesas cadeiras, caixas pesadas...

Acaba a missa, lá vão todos eles de novo, levando tudo de volta para suas casas, e no coração um grande desejo de ter uma igreja para guardar as coisas de Deus.

Aquela gente vem juntando um dinheirinho há alguns anos, com o sonho de construir uma igrejinha para se reunirem e se protegerem do frio e do calor. Os anos foram passando e lá se vão oito anos, carregando para baixo e para cima suas coisinhas para celebração da vida na missa. O povo de Deus tem muita sabedoria quando fala das coisas de Deus. O povo fala: Deus não dorme nem cochila. E é verdade. Por isso é sempre tão bonita as coisas que Deus faz. Ele tem visto o esforço daquele povo, lá do Vale do Castelo. Então ele providenciou uma noite de muita alegria e emoção. Celebramos lá a missa de lançamento da pedra fundamental da Igrejinha que eles tanto sonham, a Igrejinha de Nossa Senhora das Graças, e quanta emoção todos nós sentimos.

Na homilia, eu quis ouvir o povo de Deus contanto as histórias de quando celebravam nas garagens, e nas ruas, no terço das casas, depois no barracão e agora com a promessa de que terão a Igreja que começará a ser construída nesta semana. Graças a Deus.

Lá, onde vai ser construído o altar para a Igreja de Nossa Senhora que abençoará com suas graças todo o Vale do Castelo, foi colocada a pedra fundamental. Com muita emoção, guardamos, num buraco feito debaixo de onde será construído o altar, uma arca de madeira de lei contendo as marcas do dia: um terço, uma imagem de nossa Senhora das Graças, com sua novena e a medalha milagrosa; um jornal com as notícias daquele dia; a planta da igreja, e a assinatura de todos os que estavam presentes. Depois colocamos encima de tudo isso a pedra que selava, ali, a história de pessoas que lutaram para ver sua Igrejinha sendo construída.

Deus louve as pessoas que se emocionam ao ajudarem a construir a Igreja de Deus em seus corações, e choram de emoção quando veem sua Igreja bonita, bem arrumada, iluminada e feliz. Feliz povo lá do Vale do Castelo, aqui em Muriaé, que chorou ontem a emoção de ver colocada em sua Igreja a primeira pedra, a pedra fundamental da Igreja de Nossa Senhora das Graças.

Oração pela Igreja

Suba até vós,
Pai bondoso,
a oração deste povo
que filialmente Vos adora,
celebra e ama.
Confirmai, Senhor, a nossa fé.
Concedei-nos a força
de a professarmos com sinceridade
e a difundirmos
com entusiasmo entre os homens,
Vossos filhos e nossos irmãos.
Dai-nos, Pai Clementíssimo,
a esperança que não engana
e que nos garante o ministério
da Igreja Santa do Vosso Filho
e Senhor Nosso Jesus Cristo.
Confirmai-nos na caridade
que supera todo o bem,
difundida no nosso coração
pela graça inefável do Espírito Santo.

Dai-nos forças para construirmos juntos a suas colunas 
e suas paredes, mas que não nos esqueçamos
de construir a nossa fé e nossa esperança.

Iluminai, Senhor, os nossos pastores,
para que, unidos, ao rebanho e à Sé de Pedro,
deem novo impulso
à evangelização no mundo.
Alente a nossa oração
à intercessão materna
de Maria Santíssima
e dos Santos, nossos protetores.
Amém.

Música sugerida:  Cidadão (Zé Ramalho) 

PORQUE REZAR?

Jesus, nos momentos mais fortes de sua vida sempre se retirava para rezar. Ou ia para o deserto, ou subia uma montanha, ou mesmo sozinho, no quarto, ele rezava. Quando as coisas ficavam muito difíceis, ele gostava de ficar um pouco sozinho para rezar. Conversar um pouco com Deus, sobre suas angustias, suas preocupações, e sobre tanta coisa que tinha de realizar. Era um homem de muita oração, silêncio, e sobretudo fé. Nós hoje somos muito barulhentos. Vivemos numa correria danada. Dificilmente estamos sozinhos ou buscamos ficar um pouco sozinhos para conversar com Deus. Dentro de casa por vezes tem tanto barulho das crianças e da televisão e de muita música. Não temos mais montanhas, nem desertos para caminhar.

Para meditar:

É bem verdade que não temos mais montanhas nem desertos, mas temos as capelas dos Santíssimos na nossa cidade. Tem sempre uma igreja, uma capelinha ou uma igrejinha. Deus vai gostar da nossa atitude de passar lá na capela, ficar lá um pouquinho sozinho. Em silêncio. Não precisa dizer nada. É só começar a pensar nas coisas da nossa vida. Na falta de paciência, ou nas contas que temos de pagar. Ou na falta do dinheiro. Ou na saúde da gente que tá fraca. Não importa, esta será a nossa oração, aqueles pensamentos que vem quando a gente tá rezando, eles são a nossa oração. É o que vivemos que será sempre a nossa oração.

Para rezar:

Meu Senhor,

Sei que para vós não há 'beco sem saída', não há problema sem solução. Sei que o Senhor pode fazer jorrar água da pedra e sei que pode transformar água em vinho e pedras em pães. Sei que o Senhor dá ordens aos ventos e ao mar... Eu sei, Senhor que o Senhor cuida das aves do céu e dos lírios dos campos, que não semeiam e não ceifam, e o Senhor lhes dá o alimento e as vestes, que valem muito menos do que nós. Eu sei de tudo isto, Senhor, mas a minha fé é fraca; me perdoe, me cure e aumente a minha fé, Senhor! Eu não desisto de procurar-Te e de alcançar uma fé firme. Sei que o Senhor cuida de mim. Diante de cada problema quero te perguntar: Como vamos resolver isto, Senhor? Dá-me tua sabedoria e tua força. Não permita Senhor que a desânimo nunca tome conta de mim. Quero alegrar-me SEMPRE no Senhor, Em Teu Nome, eu lanço todas as minhas preocupações.

Música 1: AMAR E REZAR PE.ZEZINHO SCJ

 


Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Paróquia São Paulo, Pe. Cícero Machado Ribeiro, MSC

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

Existe dentro nós, uma batalha interminável: de um lado as tendências do nosso coração para sentir coisas ruins. Num lapso de momento somos capazes de sentir tanta raiva, tanta decepção, tanta desilusão, que se não tomarmos cuidado se transformarão em ressentimentos e rancores. Do outro lado, opera a Graça de Deus. Ela nos diz que não devemos sentir coisas ruins. Que devemos relevar. Que os outros são assim mesmo. Que Deus é maior. Aí é que o conflito dentro de nós fica mais doído. Queremos ser bons, mas temos em nós sentimentos ruins que querem falar mais alto. Logo aparece um nó na garganta, uma dor doida, uma fraqueza e, na maioria dos casos, a única válvula de escape é chorar um pouco, num canto qualquer, e deixar o coração desabafar. A graça e o pecado vão agindo dentro de nós. Uma luta que apenas poderá ser vencida por quem tem fé na graça de Deus ela será sempre a vencedora, mas para quem não vive a fé não conseguirá perceber a ação da graça salvadora de Deus.

É bom sempre buscar dentro de nós alguma mágoa que possamos estar sentindo com relação a alguém que nos feriu ou nos magoou. Poderemos perceber que naquele momento a graça de Deus agiu. Que o sintoma de que Deus estava presente é de que hoje somos melhores, que aprendemos mais coisas, temos mais amigos do que perdemos. Aquela lágrima que caiu de nossos olhos e rolou pela nossa face foi a mesma que lavou o nosso coração e nos fez purificados, nos encheu de graça a ponto de podermos sorri mais, brincar mais, fazer mais amigos, e se você não conseguiu ainda alcançar esta graça, peça a Deus agora, que ele a conceda a você. E pense que você na verdade pode contribuir para que alguém fosse também melhor por sua causa.

PARA MEDITAR E ORAR

Sábio Espírito Santo:

Ajude-me a fazer o que for mais adequado, da maneira mais amorosa possível. Elimine da minha mente e do meu coração todos os julgamentos, projeções e preconceitos. Elimine da minha mente e do meu coração todo o medo, raiva, mágoa e ressentimentos passados. Ajude-me a ver de maneira clara, serena e honesta tudo o que aconteceu e venha a acontecer em minha vida. Ajude-me a falar com compaixão e generosidade. Ajude-me a ter coragem de enfrentar a verdade sem nada omitir ou distorcer. Senhor, inspire-me com a sua sabedoria a escolher bem cada palavra, para que não venha a magoar e nem ferir ninguém que eu amo. Abra a minha mente, meu coração e os meus ouvidos para escutar as pessoas com o mesmo desejo de entendimento e paz que eu mereço. Abra a minha mente, meu coração e meus ouvidos para acolher com amor e respeito as respostas que preciso dar a quem me ofender, para que não tenha motivos de guardar nenhuma mágoa dentro do meu coração. Senhor, desejo que a verdade dita e ouvida com afeto e respeito promova uma relação mais aberta, franca e amorosa entre mim e as pessoas. No mais Senhor, dá-me a graça de esquecer mágoas e ressentimentos antigos, a fim de que somente a tua graça me baste. Eu agradeço, E assim seja!

 

Música sugerida para ouvir e rezar
Foi por Você (Anjos de Resgate)

Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Paróquia São Paulo, Pe. Cícero Machado Ribeiro, MSC

Fotos

Rua Dr Afonso Canedo, 47 Muriaé - MG, 36880-000 - 32 3722-2363 | Todos os direitos reservados a Paroquia São Paulo

Todos os direitos reservados a