Padre Cícero Machado

Em 10/05/2016 às 13:33h

Unidos seremos mais Forte

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

Estamos na Semana da Unidade dos Cristãos. Só que existe uma grande confusão, e até uma briga entre os Evangélicos, católicos, e protestantes. Vivemos desunidos. Acontece até de um falar mal dos outros. E ainda assim se dizem cristãos. Em vez de unidade, temos uma "desunidade", desunião. A semana da unidade é uma semana que rezamos a Deus para que possamos acabar com essa desunião.

Vamos entender a semana da unidade entendo primeiro a história da Torre de Babel. Todos nós de alguma forma, já ouvimos falar desta História na Bíblia. Ela está no Livro do Gênesis no capítulo 11 e versículos de um a nove. Conta a Bíblia que houve um tempo em que todos os povos falavam a mesma língua. Todos se entendiam. Não haviam idiomas diferentes. Porém, este povo decidiu que queriam chegar ao topo do Céu. E de lá não sairiam mais. Motivados pela vaidade, queriam chegar até Deus.

A Bíblia conta que Deus ficou muito irritado com a pretensão do ser humano, e decidiu confundir todas as línguas, e deste tempo então ninguém mais se entendia. A Torre foi destruída e cada qual com sua própria língua se espalhou por todo o mundo. De lá para cá a humanidade não se entende mais. Há os que dizem que este é o motivo pelo qual no mundo se fala tantas línguas, tantos idiomas e dialetos, que nem dá para contar.

Por outro lado, os evangelhos contam que após 50 dias da ressurreição de Jesus, ele aparece aos discípulos e sopra sobre eles, eles começam a falar em línguas diferentes e todos os povos podiam entendê-los na sua própria língua. A este dia se chamou Pentecostes. Por isso Pentecostes é o contrário de Babel. Se em Babel todos passaram a não mais se entender, em pentecostes é possível que todos se entendam falando línguas diferentes.

Entre os cristãos existe uma verdadeira Torre de Babel. Todos Gostam de Cristo, mas ninguém se entende. Pentecostes aconteceu 50 dias depois da ressurreição de Jesus. Passaram-se mais de 2000 anos e ainda temos a divisão entre os cristãos. Avisamos aos navegantes, que quem ficar procurando uma explicação para todos esses acontecimentos, queiram entender que Pentecostes foi o envio dos apóstolos para falar a mesma língua que todos os povos possam entender, ou seja, a linguagem do Evangelho, que se espalhou por toda a terra. O evangelho pode ser entendido por todas as nações. Todos os povos. Todas as línguas. Tanto que temos o evangelho em todos os confins da terra.

Onde há confusão, onde ninguém se entende, onde há discórdias e brigas, ali é a Torre de Babel.

A Igreja católica pede, nesta semana, que todos os que se dizem cristãos, ou seja, os evangélicos, protestantes e católicas, possam se unir numa só fé, num só batismo, numa só doutrina para professar a fé no Cristo que nos une, mas que nós humanos acabamos nos separando por brigas entre doutrinas.

A Igreja espera que todos os povos, de todas as igrejas e religiões que falam de Cristo, possam um dia se unir. Nesta semana que finda com o Domingo de pentecostes, a Igreja rezará para que acabe as brigas e as confusões entre católicos e evangélicos e nos unamos todos para fazer com que todos sejam um como Jesus e o Pai são um. Se nós como cristãos temos tanta dificuldade de nos unir como poderemos então unir o mundo que se mostra tão desunido?
Nosso Bom dia com Cristo desta manhã vai para todos os cristãos que amam a Cristo, falam a mesma língua do amor, e se unem para construção de um mundo melhor, cheio do evangelho de Jesus.

O Dia de Pentecostes. Dia em que Deus nos envia o seu Espírito. É como se daqui para frente nós não tivéssemos mais Espírito de gente, tivéssemos Espírito de Deus. É bem assim... Quando temos com espírito de gente, podemos ser bons e podemos ser maus. Podemos ser confusos, impacientes, guardar rancores e ódios, podemos ser maledicentes, fracos nas nossas decisões e frios diante da dor dos outros. Mas quando a gente tem o Espírito de Deus, tudo passa a ser diferente. Passamos a ter um espírito capaz de nos dar a coragem necessária para enfrentar o dia a dia e resolver os problemas sem ficar chorando pelos cantos. Ter Espírito de Deus é tão simples assim.

PARA MEDITAR

Receber o Espírito de Deus não é tão difícil quanto parece. Pentecostes é o dia em que Deus troca o nosso espírito de gente, pelo seu Espírito. Receberemos os dons necessários. A sabedoria para saber fazer o que devemos fazer com coragem e sem moleza. Teremos a ciência para entender o que podemos e o que não podemos fazer. O que nos convém e o que não nos convém. Poderemos ser bons conselheiros, e encaminhar quem depende de nós pelos caminhos do bem. Ter o Espírito de Deus é entender que tem gente que precisa da nossa ajuda e da nossa palavra, por isso devemos nos inspirar na Palavra de Deus para nos orientar e quem mais precisar de nossa orientação. Não viva por esta vida somente contando com seu próprio espírito, é uma bobagem viver assim, somos muito fracos sem Deus. Tenha consciência de que você precisa ter o Espírito de Deus em você.

A oração a seguir nos ajudará a entender as coisas de Deus.

Espírito Santo:
Dai-nos o Dom da Sabedoria
Para que possamos avaliar todas as coisas à luz do Evangelho E ler nos acontecimentos da vida os projetos de amor do Pai
Dai-nos o Entendimento
Uma compreensão mais profunda da verdade a fim de anunciar a salvação com maior firmeza e convicção
Dai-nos o Dom do Conselho
Que ilumina a nossa vida e orientai a nossa ação segundo vossa Divina Providência
Dai-nos o Dom da Fortaleza
Sustentai-nos no meio de tantas dificuldades com vossa coragem para que possamos anunciar o Evangelho
Dai-nos o Dom da Ciência
Para distinguir o Único Necessário das coisas meramente importantes
Dai-nos Piedade
Para reanimar sempre mais nossa íntima comunhão convosco E, finalmente, dai-nos vosso santo Temor
Para que, conscientes de nossas fragilidades, Reconhecermos a força da vossa graça.
Vinde Espírito Santo
E dai-nos um novo coração. Amém.

Música 1: Vem Espírito Santo (Eliana Ribeiro) 

Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Paróquia São Paulo, Pe. Cícero Machado Ribeiro, MSC

Em 05/05/2016 às 07:32h

Amar de verdade = Fidelidade

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

É muito bom ler a Bíblia. Até vemos muita gente andando pelas ruas com a bíblia na mão. Também vemos pessoas lendo a bíblia nos pontos de ônibus, sentados nas praças, outros nas filas de espera. E não são poucas as pessoas que leem, interpretam e fazem questão que os outros escutem o que estão lendo. Porém, o melhor mesmo, é quando estamos juntos, todos sentadinhos lá na Igreja e alguém vem nos ensinar o que estamos lendo ou ouvindo. Escutar uma pregação bem feita e bem preparada é muito bom. Descobrimos coisas fantásticas acerca do pensamento de Deus para nossa vida, também para o nosso dia a dia. Para os nossos relacionamentos.

Por exemplo, neste final de semana a grande questão para os nossos fiéis seria descobrir no evangelho o sentido da expressão de Jesus, quando, lá na santa ceia, ele chama os discípulos de filhinhos. Ele Diz: Filhinhos, mais um pouco e vocês não me verão mais. Ele já falava isso com uma imensa saudade de seus discípulos. Aí eu fiquei pensando que Jesus neste momento em que chama os discípulos de filhinhos, deixa de ser o irmão, e passa a ser o papai de todos eles. Assume ali a trindade Santa, sendo ele o Filho, chama os amigos de filhos.

Em uma outra ocasião, um dos seus discípulos chamado Felipe, pediu a Jesus: Mestre mostra-nos o Pai. Ao que Jesus respondeu. Filipe tanto tempo comigo e ainda não me conheces. Naquela resposta o apóstolo Filipe ficou assustado porque descobriu que ali, na sua frente, não apenas estava presente a pessoa do Deus Filho, mas também a Pessoa do Deus Pai.

Assim foi neste domingo na Igreja, com as leituras da missa, quando Jesus se dirige aos apóstolos como sendo seus filhinhos. Assim toda a Igreja se sentiu nos braços de Cristo, com o carinho de um Pai.

Infelizmente havia na santa ceia um traidor, Judas Iscariótes, que antes de ouvir este tamanho carinho de Jesus, saiu para entrega-lo a Pilatos.

Então pensamos, uma pessoa que ama pode trair outra pessoa que ama tanto, trata com tanto carinho a pessoa amada, mas é traída.

No caso de Judas Iscariótes, ele logo que descobriu o mal que tinha causado a quem o amava tanto, se enforcou.

Na Igreja, quantos abandonaram sua doutrina para seguir outras doutrinas que não são ruins, mas que vão contra a tudo o que sempre acreditamos. Isso é traição. Deixar de acreditar na Trindade Santa. Onde Deus é trino, ou seja, Pai filho e Espirito Santo, quando ele mesmo chama seus apóstolos de Filhinhos e Diz que quem o vê, vê o Pai.

"Amai-vos uns aos outros como eu vos amei". Disse Jesus. Amar como Cristo nos amou é muito simples. Quer dizer: Amar com fidelidade, com lealdade, com uma preocupação. Sem abandonar, suportando as dores que os compromissos nos trazem. Amar com o cuidado de não ferir, de não magoar. A palavra certa, na verdade é amar com verdade.

Não foi nem uma, nem duas vezes em que ouvimos lá nas Sagradas Escrituras que tudo nesta vida vai passar. Já ouvimos muitas vezes as pessoas nos consolarem dizendo: calma, espere o tempo passar, e tudo vai ficar bem. Mas na verdade, no momento em que estamos vivendo certas situações, parece que o tempo não passa nunca. Os dias se arrastam, as noites ficam longas. Uma grande ansiedade toma conta da gente para resolvermos com pressa os problemas que a vida nos traz. Nestes momentos estamos muitos propensos a fazer uma série de bobagens e depois nos arrependermos. Na maioria dos casos, quase não tem volta o que falamos e o que fazemos. Corremos o risco de estragar e ferir o que para nós sempre foi tão precioso.

Para meditar:

Primeiro é preciso se manter sempre com o espírito forte. Entender que por vezes é preciso que passemos por algumas aflições. Ter a certeza que pode estar ali a ação de Deus, mesmo na aflição, momento de alguma crise. Será que já conseguimos pensar que pode ter sido o próprio Deus quem gerou aquela crise para que pudéssemos resolver algo que não estava tão bem como pensávamos? Precisamos acreditar que tudo realmente nesta terra vai passar. Não tem como não passar por aflições, por enganos, por apertos. Mas se acreditamos na Palavra de Deus, devemos acreditar que coisas novas acontecerão. Que Deus está no comando. Que nestes momentos será preciso sempre fazer silêncio. Ficar um pouco só com Deus. Reforçar as esperanças no que queremos e buscar em nós o que será mais importante conservarmos. Por isso é muito importante nos colocarmos vez em quando diante do Santíssimo, e conversar com Deus e assim ver o que ele quer de nós diante das situações que estamos vivendo.

Para orar:

Vamos rezar esta oração que nos ajudará a entender as coisas de Deus.

Meu Senhor e Deus, eu sou tão convicto de que cuidas de todos os que esperam em Ti e que nada pode faltar àqueles que esperam tudo de Ti, que decidi, dirigir a Ti toda minha inquietude.

As pessoas podem despojar-me de todos os bens e mesmo da minha honra; as doenças podem privar-me das forças e dos meios para servir-te; com o pecado posso até perder a tua graça, mas não perderei nunca jamais a minha confiança em Ti.

Meu Deus, sou intimamente persuadido de que não será jamais exagerada a confiança em Ti e que o que obterei de Ti, será sempre muito mais do que o que terei esperado.

Espero também, Senhor, que Tu me sustentes nas fáceis debilidades; me sustentes nos assaltos mais violentos; faças triunfar a minha fraqueza sobre os meus temidos inimigos.

Tenho muita confiança que Tu me amarás sempre e que também eu, por minha vez, te amarei para sempre.

E para levar ao mais alto grau esta minha confiança, ó meu Criador, eu espero-o de Ti mesmo, pelo tempo e pela eternidade. Amém.

Ouça esta música:

Deus De Promessas - Padre Juarez De Castro


Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Paróquia São Paulo, Pe. Cícero Machado Ribeiro, MSC

Fotos

Rua Dr Afonso Canedo, 47 Muriaé - MG, 36880-000 - 32 3722-2363 | Todos os direitos reservados a Paroquia São Paulo

Todos os direitos reservados a