Padre Cícero Machado

Em 21/11/2017 às 10:39h

Aprender o Amor de Deus na Liturgia

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

Existe um dia na Igreja em que celebramos o dia de Cristo o Rei do Universo. É a virada do ano. Aí alguns de vocês devem se perguntar: "Mas a virada do ano não seria no dia 31 de dezembro e o dia primeiro de janeiro não é o Ano Novo? Mas porque então o Padre Cícero está falando de virada do ano no dia de Cristo Rei? "

Calma que vou explicar. É porque no domingo de Cristo Rei quem for à missa vai celebrar o final do ano para a Igreja, ou seja é o último dia do ano litúrgico não do ano civil.

Vamos entender ainda melhor... Acompanhem atentamente comigo.

Às vezes escutamos dizer que os católicos não leem a Bíblia e que não carregam a Bíblia para a Igreja. Precisamos, então entender que o jeito de ser da religião Católica é diferente do jeito de ser das outras religiões ou seitas. Não podemos compará-las. Quem diz que o católico não lê a Bíblia tá muito enganado. Claro que nós católicos lemos a Bíblia, mas do jeito católico de ser e de ler.

Vou dar um exemplo: nós católicos temos uma coisa que se chama tempos litúrgicos dentro do ano litúrgico. Assim como as escolas tem ano letivo, que começa em fevereiro ou março de acordo com a escola, assim também a Igreja tem o ANO LITÚRGICO.

Já ouvimos falar dele, ele é composto do tempo Advento e Natal, Quaresma, Páscoa, Tempo Comum e no meio do ano Litúrgico a igreja celebras as festas dos santos e santas da Igreja. Cada nome desse se encaixa durante o ano até que se cumpra os seus 365 dias. Para cada dia tem um evangelho, uma leitura do Antigo Testamento, um salmo e cartas dos apóstolos São Paulo, São Pedro, São Tiago e São João e também dos Atos dos Apóstolos, somando tudo chegaremos à conclusão que este católico leu a Bíblia mais do que qualquer pessoa de outra religião ou seita. Sabe porquê? Vou dizer...

Quem organizou a nossa Igreja, ou seja, os Papas, juntamente com os doutores de teologia, se preocuparam em dividir, para todos os anos, uma maneira didática onde todos os fiéis católicos pudessem, não somente ler os evangelhos, mas também entender verdadeiramente o que estão lendo. Isto é que difere a Religião Católica de todas as outras, pois quem vai à missa vai ler o evangelho e os textos da Bíblia com alguém para explicar. Esse alguém, na maioria das vezes, é uma pessoa que estudou uma faculdade de filosofia e teologia somando, no mínimo oito a dez anos de estudos para graduação e mais alguns anos para quem quer fazer a licenciatura ou doutorado em filosofia ou teologia... São os padres. E se eles não podem ir explicar, eles vão preparar alguém com cursos de teologia pastoral ou cursos de formação periódicos para que estes estejam capacitados a falar em nome do padre que não pode estar ali ou da Igreja, são os ministros da Palavra.

Contudo, o mais importante não é a explicação, ou a pregação do padre, do ministro ou do pastor, o mais importante é que se ouviu e se leu a Palavra de Deus e o Evangelho de Jesus Cristo.

Quer dizer que nós católicos temos um trecho do evangelho para cada dia do ano. Lemos 365 trechos dos evangelhos durante todo ano. Quase todos os 150 Salmos.

Na Igreja temos missas todos os dias, isto quer dizer que se o católico vai à missa todos os dias ele no final do ano terá lido 365 trechos do evangelho. E se o católico for a missa todos os domingos, cumprindo a sua religião, no final das contas, terá lido em um ano, 52 trechos dos evangelhos e mais 52 trechos distribuídos entre a lei e os profetas, as cartas e os Atos dos Apóstolos.

Aqueles que se dedicam a sua religião, sejam católicos ou sejam evangélicos ou protestantes são leitores da Bíblia, cada um a seu jeito de acordo com sua doutrina.

Com a celebração do Cristo Rei do universo encerramos o ANO LITÚRGICO, e eu quero é dar os parabéns às pessoas, fiéis católicos, que se dedicaram a ir à missa todos os dias, ou ao menos aos domingos. Vocês leram a Palavra de Deus sim. Se Alguém disser que você não lê a bíblia, pode desmentir esta pessoa, porque você terá lido a Bíblia mais do que qualquer um outro. Você sim, leu, entendeu e aprendeu a Palavra de Deus, e saiba que Deus mesmo ajuda a coloca-la em pratica. Parabéns.

Para rezar e meditar:

Oração de São Tomás de Aquino para antes de ir à missa

Deus eterno e todo-poderoso, eis que me aproximo do sacramento do vosso Filho único, Nosso Senhor Jesus Cristo. Impuro, venho à fonte da misericórdia; cego, à luz da eterna claridade; pobre e indigente, ao Senhor do céu e da terra. Imploro, pois, a abundância da vossa liberalidade, para que Vos digneis curar a minha fraqueza, lavar as minhas manchas, iluminar a minha cegueira, enriquecer a minha pobreza, vestir a minha nudez.

Que eu receba o Pão dos Anjos, o Rei dos reis e o Senhor dos senhores, com o respeito e a humildade, a contrição e a devoção, a pureza e a fé, o propósito e a intenção que convêm à salvação da minha alma.

Dai-me que receba não só o sacramento do Corpo e do Sangue do Senhor, mas também o seu efeito e a sua força. Ó Deus de mansidão, fazei-me acolher com tais disposições o Corpo que o vosso Filho único, Nosso Senhor Jesus Cristo, recebeu da Virgem Maria, que seja incorporado ao seu Corpo Místico e contado entre os seus membros. Ó Pai cheio de amor, fazei que, recebendo agora o vosso Filho sob o véu do sacramento, possa na eternidade contemplá-la face a face.

Vós, que viveis e reinais na unidade do Espírito Santo, por todos os séculos dos séculos.
Amém.

Música 1:Novas Liturgias - Pe. Zezinho Scj
Música 2:O padre - Pe. João Maria e Elba Ramalho


Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Pe. Cícero Machado, Paróquia São Paulo

Em 31/10/2017 às 14:11h

Rezar com Responsabilidade

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

Povo Santo de Deus. A Natureza tem nos mostrado tantos sinais. A vida tem gritado tanto por socorro. Até quando vamos continuar banalizando a vida? Fechando os olhos para tantos sinais? A Natureza está ficando cada vez mais fraca para se restabelecer das agressões causadas a ela pelas mãos humanas. As estações já se confundem. As chuvas caem em tempo de inverno, e no tempo das chuvas temos secas ou grandes enchentes. Podemos ver, bem aqui perto de nós a destruição acontecer. Dá uma tristeza enorme. Dá pena olhar para o Rio Muriaé e ver que ele está morrendo a cada dia, a natureza não está conseguindo se refazer por si só e clama por ajuda.

Estamos recebendo, por via das redes sociais, correntes de oração para pedir chuvas, pois os córregos nas fazendas e nas roças estão secando. Mas se ainda não percebemos, por mais que chova, os rios não conseguem chegar as suas margens normais, até chegam, mas não conseguem se manter lá, porque o que mantém as margens dos rios no seu leito normal não são propriamente as chuvas, mas a água que cai da chuva nas nascentes que sustentam o leito dos rios, E quando se tiram as árvores deste leito a água evapora muito rápido não deixando a fonte jorrar, daí centenas de milhares dessas nascentes já estão mortas e não conseguem mais mandar água para os rios, sofrem os peixes sem oxigênio, sofre os homens sem alimento.

Lamentamos as catástrofes acontecidas pelos furacões com ventos de mais de quinhentos quilômetros por hora. As trombas d'água que vem destruindo tudo por onde passa. Mas creio que o vento vem, mas a natureza chora todo mal que está nos causando, porque não é culpa dela, ela está sendo obrigada a fazer tudo isso com os filhos dela que somos todos nós. A natureza é a nossa mãe, e toda mãe sofre quando castiga seus filhos. A culpa é daqueles que, por ganância do dinheiro, esqueceram de cuidar da mãe, aqueceram demais o planeta, assim conseguiram enfurecer a natureza e tira-la do seu curso normal.

Uma lástima e puro sofrimento ver o mal cheiro que vem das águas dos rios, quase paradas quando deveriam ser refrescantes, velozes e prazerosas. Como ver as árvores nos leitos dos rios se se construiu casas dentro deles? E o pior é que a Natureza assim como os mais pobres, tem sido vítima de uma torpe corrupção que cega e quevaodestroindotudo .

Assim vamos continuar temendo muitas outras catástrofes até que tenhamos consciência que não podemos comer e nem beber dinheiro.

Mesmo com toda nossa desobediência as leis da natureza, ainda assim Deus tem nos amparado. Ainda não faltou alimentos para nós. Ainda não faltou água para matarmos nossa sede. Com muita dificuldade as chuvas ainda enchem os rios e os reservatórios. Mas devemos nos perguntar: Até quando? Até quando vamos pedir a Deus que nos mande chuvas e continuar agredindo a natureza, matando os rios, poluindo os mares?

Precisamos nos unir na solidariedade para atender ao apelo da natureza. Mas precisamos parar de destruir. Louvores a todas vai para todas aquelas pessoas que sabem cuidar da natureza, que não varrem o chão das calçadas com a mangueira de água, que tomam banhos rápidos, que não deixam as torneiras abertas enquanto escovam os dentes, que não dão longas descargas no sanitário, que preferem passar um pano no chão mais vezes em vez de despejar água no chão, a vocês todos que preservam a Natureza e economizam o que não se  pode ter mais.

Para Meditar e Rezar

Ó DEUS, de infinita bondade e sabedoria. Partilhar com que me foi oferecido é o sentido desta Humilde louvação. Que eu seja constante e fiel na preservação da natureza; um bem maior e fecundo, dádiva emsagrado ofertório. Quero estar em perfeita harmonia com o verde de nossos campos, com animais, vegetaiseoutros seres, e que não me falte à ausência do natural com destinação saudável, proveitosa e dignificante.Que eu seja um personagem de TUA vontade, herdeiro que sou de TUA bondade santificada, fiel ao sentimento de TUA solidária e abundante ofertaque recebiE, ROGO-TE, dá-me a graça perene para
Homenagear-TE. Que possamos amar e cuidar. Plantar, e não destruir, para que possamos viver e não morrer para a vida eterna! AMÉM.

Músicassugeridas

Música 1: Planeta Azul - Chitãozinho  e chororó
Música 2: O ano passado (Roberto Carlos)

Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Pe. Cícero Machado Riberio, MSC

Em 19/09/2017 às 10:25h

Aprender a dominar os Instintos

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

A liturgia da Igrejanomes de setembro dá uma ênfase especial à Bíblia. Oferecendo-lhe um local de destaque dentro de nossas celebrações. Dando-lhe uma melhor visualização no espaço de nossas Igrejas. Dedicamos todo este tempo, ou seja trinta dias de um mês para voltarmos um olhar mais atento a Palavra de Deus. Parece até que é pouco tempo, mas talvez seja o tempo suficiente para entendermos o quanto nossa vida depende de tudo quanto a Bíblia tem para nos ensinar. Nossa vida inteira pode passar como num fio condutor se a colocarmos diante da Palavra de Deus.

A começar pela gama de sentimentos nós são coisas que são difíceis de controlar. Dentre eles estão a raiva, o rancor, o ódio. Não adianta dizer que não sentimos estas coisas terríveis. O livro do Eclesiástico nos diz que dentro de nós existem todas essas coisas, é preciso que saibamos dominá-las. Afinal quando alguém faz algo que nos atinge o primeiro sentimento que temos é a raiva, e não o perdão. Deveria ser o contrário, mas não é. E não são poucos os casos em que a raiva evolui para o ódio, do ódio ao sentimento de vingança. A bíblia pede que tomemos muito cuidado com as coisas que sentimos, porque podemos perder os dons de Deus à medida que passamos a deixar de usá-los. Não custa muito, quando estamos com raiva de alguém, ou no meio de uma briga banhada em raiva, dizer as celebres expressões: não fale mais comigo... Pronto lá se vai o dom da escuta. Ou se diz: não quero falar mais com você, pronto, lá se vai o dom da palavra. Ou se diz não olhe mais para minha cara. Pronto, lá se vai o dom do olhar. E assim por diante até se chegar a mais fatídica de todas as expressões do ódio: Eu quero que você morra. Neste momento se perdeu toda a graça e os maus desejos passaram a ser incontroláveis.

Contra todo esse repertório de coisas que podem destruir o ser humano, a Bíblia nos traz o remédio. Um deles é olhar para si e para Deus. Ainda o livro do Eclesiástico mostra as incoerências de quem sente ódio e a raiva e não consegue controla-las. Quem tem raiva não pode pedir a Deus a cura. Se não tem compaixão, e compaixão é sentir dentro de si os motivos que levaram alguém a praticar o mal. Se não conseguimos nos colocar no lugar do outro que precisa de perdão, como pediremos pedir perdão?

A Bíblia nos convida a, nestes momentos, pensar na destruição e na morte e perseverar nos mandamentos.

Não é à toa que a Bíblia é chamada de o livro das leis. Sim, porque precisamos de leis para nos orientar. Nossos instintos precisam ser dominados, não conseguiremos fazer isso sozinho. Uma criança precisa de normas dadas pelos seus pais para serem bons. Uma criança de um ano, não sabe quase nada. Se ficar irada ela é capaz de morder a própria mãe. Precisa de elementos para aprender a dominar sua raiva.

A pouco tempo era possível um marido espancar sua mulher sem receber nenhuma punição, hoje temos leis que o bloqueiam da violência contra a mulher. Com isso quero dizer que as leis da bíblia são perfeitas para nos ensinar a dominar os nossos instintos mais terríveis. Como a vontade de matar, de roubar, de adulterar, de cobiçar, de maltratar pai e mãe e assim por diante. Uma criança que cresce sem conhecer as verdades sobre o relacionamento entre os seres humanos, em família, em grupo fatalmente trará muito dor para a sua família e sociedade.

Podemos dizer que existem pessoas que são ruins mesmo conhecendo a palavra de Deus. Mas devemos pensar que elas seriam muito piores se não conhecessem.

Por isso peço com veemência aos senhores pais e mães, e a todos os cristãos e também não cristãos, ensinem os seus filhos ouvirem a Palavra de Deus desde pequeninos. Leve-os a Missa que é o melhor lugar para se encontrar com a verdade e aprender as coisas do amor. Saber superar os instintos perversos e os apelos para o mal.

Não existe outro caminho para aprender a viver bem, ser feliz e amar na vida que não seja pela Palavra de Deus que nos criou, e nos salvou de nós mesmos.

 

PARA MEDITAR

Senhor, que nosso coração seja sempre terreno fértil para acolher a tua Palavra. Que saibamos espantar os pássaros do egoísmo e da ganância, que impedem tua Palavra de brotar. Que saibamos retirar as pedras do orgulho e da vaidade, que impedem tua Palavra de criar raízes. Que saibamos arrancar os espinhos da injustiça e da exploração presentes no mundo, que sufocam a tua Palavra. Que saibamos adubar nosso coração com o Amor e regar com a Paz, para que tua Palavra possa gerar frutos e fazer florescer o vosso Reino.

Jesus Mestre, que dissestes: "Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, eu aí estarei no meio deles", fica conosco, aqui reunidos, para melhor meditar e comungar a tua Palavra. Sois o Mestre e a Verdade: iluminai-nos, para que melhor compreendamos as Sagradas Escrituras. Sois o Guia e o Caminho: fazei-nos dóceis no vosso seguimento. Sois a Vida: transformai nosso coração em terra boa, onde a Palavra de Deus produza frutos abundantes de santidade e apostolado. Dou-Te graças, meu Deus, pelos bons propósitos, afetos e inspirações que me comunicastes nesta meditação; peço-Te ajuda para os pôr em prática.

Com Maria, Mãe, Mestra e Rainha dos Apóstolos,

guardaremos a vossa Palavra, meditando-a em nosso coração.

Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida,

Tem piedade de nós. Amém.

Para rezar e cantar

Música 1: Troque o ódio pelo amor - Padre Alessandro Campos

Música 2:Palavra do meu Senhor - Zé Vicente


Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Pe. Cícero Machado Ribeiro, msc

Em 29/08/2017 às 14:17h

Uma nova Igreja - De Pedra e de Pedro

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

Houve um tempo em que Jesus estava cansado de ouvir falar mal dele, falavam mal, colocavam apelidos, xingamentos. Houve quem o chamasse de Belzebu. Belzebu é o príncipe dos demônios. Armavam armadilhas. Certa vez jogaram uma prostituta aos seus pés, vocês bem conhecem quem é, é a Maria Madalena, jogaram ela aos pés de Jesus achando que ele iria apedrejá-la. Ele, simplesmente, disse que quem não tivesse pecado que atirasse a primeira pedra.

E assim foram muitas e muitas vezes. Chegaram ao ponto de leva-lo ao alto de um precipício para atirá-lo lá de cima, e na última hora, desistiram.

Jesus não se cansou de tentar faze-los entender que a Religião tem de cuidar dos mais pobres, das viúvas, dos órfãos, dos doentes, dos que estão perdidos e precisam de abrigo. Religião é serviço. Mas eles não queriam entender, e ainda mais, achavam que estavam certos. Brigavam com o Mestre porque ele comia com os cobradores de impostos e com as prostitutas. Certa vez tiveram o desplante de chamar o mestre de Beberrão e comilão.

Realmente, chegou uma hora em que o mestre se cansou. Essa gente má, louvava a Deus com os lábios mas seus corações estavam cheios de perfídia e de maldades. Raça de víboras, gente falsa e hipócrita. Eles frequentavam a sinagogas e andavam bem vestidos pelas praças, mas estavam cheios de maldades. Sepulcros caiados.

Diante disso tudo Jesus desistiu de frequentar as sinagogas deles e seus templos, resolveu criar uma nova maneira de se reunir em nome de Deus. Realmente, não dá para a gente se relacionar com quem vive falando mal da gente. Essas pessoas acabam fazendo a gente sentir dentro de nós sentimentos que nunca queríamos sentir. Por isso, o Mestre resolveu deixá-los de lado, e buscar outros caminhos para implantar o seu projeto de mais amor, carinho, e cuidado entre os homens, onde todos pudessem conhecer Nosso Deus Pai, o Criador, e ter uma humanidade feliz onde todos pudessem amar uns aos outros.

Foi aí então que Ele pensou em pessoas que pudessem religar as coisas da terra com as coisas do céu. Daí Jesus chamou Pedro para ser a pedra fundamental onde Ele iria edificar a sua Igreja. E ainda garantiu que as portas do inferno nunca prevaleceriam contra a sua Igreja.

Mas até hoje estas portas do inferno lutam contra a Igreja de Cristo. Pudemos acompanhar atualmente pelo WhatsApp um vídeo em que um pastor de uma igreja pentecostal, compara nossa Senhora Aparecida com uma garrafa de Coca-Cola, falando mal da Mãe de Jesus e ainda chamando a Santinha de coisa preta. Altíssimo grau de Preconceito e acima de tudo desrespeito com a Igreja que Cristo quis.

Contudo a Igreja permanece na história e perpassa todas essas ignorâncias. Falaram mal do próprio Cristo, tanto fizeram que o mataram. Mas A Igreja que Ele deixou o traz presente em todas as missas, ele está ali, ele mandou fazei isso em memória de dele. Ele instituiu a Eucaristia. Não quis mais as sinagogas, nem os templos falsos de Salomão, ou Jerusalém, ou seitas como tantas que até hoje vemos por aí. Ele quis que os batizados se reunissem. E aqui estamos sobre as ordens de Pedro hoje tão bem representada pelo papa Francisco.

Nosso Bom dia de hoje vai para todos que sabem dizer quem é Jesus Cristo, e o buscam lá na sua Igreja, ou numa capelinha perto de sua casa, ouvindo sua palavra, e seus ensinamentos. Comendo do Seu Corpo e bebendo do seu Sangue, ele está lá. Vá procura-lo. Ele quis assim e que seja assim dentre nós.

Pe. Cícero Machado Ribeiro



ORAÇÃO PARA REZAR E MEDITAR

Querido DEUS!
Obrigado, Senhor, por mais um dia que me dás, pelo alimento à minha mesa, pela família da qual sou parte, por amar aos meus irmãos, por buscar sempre ser justo, por saber perdoar as ofensas, pela consciência das minhas faltas. Obrigado, Senhor, por crer em ti, por amar a tua igreja, pelo bem que pude praticar, pelo mal que eu soube evitar. E porque me deste a fé, me alimentas a esperança, e me fazes filho da tua caridade,Eu agradeço por me lembrar que sou Teu filho(a).
Agradeço por me mostrar que sou protegido, guiado e iluminado pela Tua presença divina no mais íntimo do meu ser.Agradeço, Senhor, por me dar abrigo na tempestade, por endireitar o que esta torto, por criar saídas onde parece não haver escapatória.
Agradeço por me perdoar quando eu não posso ou não quero perdoar a mim mesmo.
Agradeço, Senhor, pela Tua compaixão, pela Tua graça, pela Tua bondade, que estão sempre presentes, sustentando-me nos momentos mais difíceis.
Agradeço, Senhor, por não me deixar esquecer que o Senhor habita em mim e é a força que dá vida a minha alma.
Agradeço, Senhor, pela pessoa que sou. Por estar na tua Igreja, por ser membro do teu Corpo Místico.
Que Assim Seja. Amém!

Músicas relacionadas: Música 1: O padre - Pe. Antônio Maria e Elba Ramalho.

Música 2: Agradecimento - Padre Antônio Maria - (Álbum Com Vida) oficial


Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Pe. Cícero Machado Ribeiro, msc

Em 16/08/2017 às 11:02h - Atualizado em 16/08/2017 às 13:06h

Coisa Velha é a Família

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

Os relatos mostram que Deus pensou a família de uma forma tão bonita. O livro do Gênesis conta de uma forma até poética e romântica como Deus pensou a família. E se pensarmos bem, é desse jeito mesmo que surge uma família: primeiro se prepara a casa... Assim Deus fez, ele preparou a casa! Como um pai construindo a casa do filho que vai se casar. Arrumou as luzes. Pôs luzeiros no céu. Fez um teto de estrelas. Depois colocou água na casa, para fazer comida, para se banhar, para molhar as plantas. Depois fez um lindo quintal que chamou de terra, onde ele plantava e se podia arranjar comida, fez um lindo quintal. Colocou flores. Fez um teto e pintou de azul o enfeitou de estrelas, colocou bichos no quintal, fez um lindo aquário cheio de peixes e um viveiro de pássaros para cantar e encher de músicas e sons aquela casa que ele estava construindo... Água, terra, bichos, teto azul, sons, música dos pássaros, sol, lua, estrelas e relva macia para dormir. A casa estava pronta para morar. Mas faltava a família. Então chamou o filho à vida. Soprou nas suas narinas e eis que chegou Adão. Criou o homem e do sonho do homem tirou a mulher. Interessante que quando Eva foi criada, ela foi tirada da costela de Adão, mas adão estava em sono profundo, sonhando pesado. Isso quer dizer que a mulher nasceu de um sonho. A família nasce de um sonho sempre do homem e da mulher, os dois sonham e Deus realiza os sonhos. Quando uma pessoa casa ela tem o sonho de ser feliz, de ter filhos de cria-los juntinhos, e de morrer velhinhos. Isso é a coisa mais antiga do mundo. É a coisa mais velha...

Nós nos acostumamos a dizer que as coisas ficaram velhas. Que precisamos de novidades, de coisas novas. E nessa onda acabamos deixando de lado coisas velhas que estão sempre novas. É preciso retomar esta coisa antiga e sempre nova chamada família. Onde os sonhos se realizam. Onde as esperanças se consolidam. Onde um é esteio do outro. Onde todos contam com a presença de Deus, caminhando em seu quintal. Se o novo que as pessoas querem vai promover a dor, sofrimentos, separações, saudades dos filhos de pais separados, até por motivos banais que separam as pessoas, eu, sinceramente, prefiro ficar com as coisas antigas. E, se quiser chamar de velhas, eu também aceito. Pois Deus, na sua sabedoria criou a família e pensou perfeitamente como ela deveria se constituir. Infeliz daquele que chama de velho o que é sempre novo, e quer viver coisas novas se juntando sem benção do pai, sem escutar os conselhos dos velhos, e de Deus Pai, preciso avisar a essa gente que, fatalmente, correm um grande risco de serem expulsos do paraíso e nunca mais poder entrar.

O melhor e preferir viver seu amor à moda antiga. Com quintal, bichos, flores, um pouco de comida, e uma costelinha para se agarrar nas noites de frio e na hora do cansaço. Parabéns para você que acredita na família tão grande assim.

PARA REZAR E MEDITAR

Ó Deus, de quem procede toda paternidade no céu e na terra, Pai, que és Amor e Vida, faz que cada família humana sobre a terra se converta, por meio de Teu Filho, Jesus Cristo, "nascido de Mulher", e mediante o Espírito Santo, fonte de caridade divina, em verdadeiro santuário da vida e do amor para as gerações que se renovam. Faz que Tua graça guie os pensamentos e as obras dos esposos para o bem de suas famílias e de todas as famílias do mundo. Faz que as jovens gerações encontrem na família um forte apoio para sua humanidade e seu crescimento, na verdade e no amor. Faz que o amor, reafirmado pela graça do Sacramento do Matrimônio, revele-se mais forte de qualquer debilidade e qualquer crise, pelas quais às vezes passam nossas famílias. Faz, finalmente, te pedimos por intercessão da Sagrada Família de Nazaré, que a Igreja em todas as nações da Terra possa cumprir frutiferamente sua missão na família e por meio da família. Tu que és a Vida, a Verdade e o Amor, na unidade do Espírito Santo. Amém!

Cantos relacionados para ajudar a rezar e meditar:

Música 1: Famílias do Brasil - Padre Zezinho.
Música 2: Restaura a família - Reginaldo Manzotti


Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Paróquia São Paulo, Pe. Cícero Machado Ribeiro, MSC

Em 09/08/2017 às 17:09h

Estar com Deus

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

Conta a história que Jesus subiu um monte chamado Tabor, e lá mostrou a figura de seu corpo cheio de luz. Alguns Teólogos, pessoas que estudam os acontecimentos da bíblia, nos explicam que Jesus queria mostrar como seria o corpo dele depois que Ele ressuscitasse. Conta-se, também, que ele levou consigo três apóstolos: um se chamava Pedro, outro se chamava Tiago e o outro se chamava João. Somente estes três. Para esses três ele mostrou um pedacinho do céu. Conta-se ainda que os três ficaram com muito medo de ver o céu, porque lá, eles, ao levantar os olhos viram gente que que já tinha morrido. Sério, apareceram Moisés e Elias. Moisés vocês são bem que é: É aquele que tinha atravessado o mar vermelho a pé enxuto e libertou o povo da escravidão, e Elias aquele que tinha sido arrebatado numa carruagem de fogo e levado para o céu. Os três ficaram com tanto medo porque, além disso, ouviram uma voz que vinha de uma nuvem e dizia: este é o meu filho amado escutem o que ele diz. Ai mesmo que eles enfiaram o rosto na terra e não queriam nem ver o que estava acontecendo. Foi quando Jesus com o rosto cheio de Luz, tocou neles e disse para eles: deixem de ser medrosos. E não contem para ninguém o que vocês estão vendo aqui. Pelo visto eles desobedeceram ao Mestre porque até hoje se conta esta história. Pedro até escreveu uma carta contando que isso. Ele diz na sua carta que isso não é história da carochinha não, que ele esteve no céu com Jesus antes de Jesus morrer e lá viu gente que já tinha morrido e que estava viva novamente.

É intrigante que Jesus, que tinha 12 alunos, 12 discípulos, não levou os 12, mas apenas três deles. Porém, sabendo que Jesus é muito sábio, levou três pessoas bem significativas: O primeiro é Pedro, e Pedro é o chefe da Igreja que ele ia deixar aqui depois de sua morte. E que Pedro deveria saber como é o céu e levar para o céu todos os que fossem batizados. O primeiro Papa, o sumo pontífice, a ponte entre o céu e a terra.

O outro foi Tiago, seu primo, filho de Maria de Cléofas, a "irmã da sua mãe Maria de Nazaré, Nossa Senhora. Esse era o seu parente.

O terceiro é João, simbolizando os amigos. Com isso Nosso Senhor Jesus Cristo, mostrou que quem nos leva para o céu é a Igreja. Ela nos ensina o caminho, e lá vamos encontrar nossos parentes, e nossos amigos. Assim Jesus nos mostrou o Reino de Deus, para onde vão nossos parentes e amigos. Lá todos nós nos encontraremos. No mês das vocações somos chamados a ir para a Igreja, e viver a nossa vocação de sacerdotes, como o papa, de parentes como os pais, de irmãos como as freiras e os frades e de amigos como os catequistas.

Então, o Céu vai ser mesmo maravilhoso... Mas por enquanto vamos fazendo da terra um pedacinho do céu até que possamos todos nos encontrar lá, e ver Deus face a face.

ORAÇÃO

Senhor, meu primeiro pensamento nesta manhã que começa se dirige para Ti,
Que velaste meu sono e assististe o meu despertar. Tu moras nas alturas e habitas bem no íntimo de minha vida
E todo esse dia é Teu. Consagro-Te agora a jornada que começa.
Que meu trabalho seja fecundo com o orvalho do teu amor e a força da tua benção.
Em vão trabalham os homens se Tu não os ampara.
Permite que eu possa responder claramente a todos a respeito da esperança que existe em mim.
Que todos aqueles que eu encontrar possam receber uma palavra amiga de meus lábios, um gesto acolhedor de minhas mãos e uma oração sincera
Do meu coração. Olha na mesa dos homens pobres De que possam se alimentar para recuperar as forças e continuar a caminhada da vida.
Que hoje à noite, eu possa estar novamente Contigo, na intimidade, como alguém que reencontra um amigo, para poder dar graças pelo dia que me deste.
Obrigado por mais este dia, e, se por acaso, minhas forças faltarem que eu possa estar contigo e viver para sempre no céu com meus parente e amigos, Senhor!
Nada mais te peço, somente a tua graça me Basta. 


Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Paróquia São Paulo, Pe. Cícero Machado Ribeiro, MSC

Em 01/08/2017 às 11:14h

Alunos de Cristo: Nota 10 na vida

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

Mês de agosto, mês das vocações, todas as vocações estão em busca e a serviço do Reino de Deus. Todos somos alunos do Mestre, os padres, os pais, religiosos e religiosas, catequistas e leigos. Jesus gastou muitas aulas para ensinar a gente toda o que é o ser discípulo e a tantas outras pessoas o que era o Reino dos Céus. Alguns alunos foram bem aplicados e compreenderam logo. Outros ficaram de má vontade e não quiseram nem dar ouvidos, como estes tipos de alunos que temos em nossas escolas que não querem saber de nada. Que só querem bagunça. Custam a aprender as coisas e depois ainda falam mal do professor. A esses Jesus chama de surdos, mudos e cegos: Tem ouvidos, mas não querem ouvir. Jesus não perde muito tempo com esse tipo de aluno, não. Mas com aqueles que querem ouvir ele age como o melhor dos professores. Ele se desdobra, ele não se cansa, e se debruça sobre a mesa para ensinar até que seu aluno aprenda, entenda e além disso também saiba ensinar. O bom professor é assim: sempre arruma um jeitinho de mostrar a matéria de uma forma bem clara. Usa imagens, brincadeiras, conta histórias, inventa moda ele faz de tudo desde que seu aluno aprenda. Assim era Jesus, ele inventava histórias e estorinhas, contava parábolas, inventava situações para que seus alunos conseguissem entender tudo o que ele queria ensinar. Ele era incansável e muito criativo.

Nesta semana toda quem quiser ser um bom aluno e aprender uma porção de coisas que o Nosso Professor, o Mestre Jesus quer ensinar, eu quero dar um conselho. Leiam os evangelhos desta semana. Jesus está contando nos evangelhos desta semana uma porção de histórias para ensinar o que é o Reino dos Céus, e o Reino de Deus. Avida dele foi toda só para isso. Aprendendo isso e colocando em prática já estamos no céu. Tá muito bom. Ele fala das pérolas, e das sementes, do fermento, e dos campos, onde está escondida toda a sabedoria. Ele é genial.

No final de tudo, os alunos mais aplicados, os que mais aprenderam ficaram admirados com as palavras cheias de encanto que sai da sua boca e da sabedoria com que fala das coisas de Deus.

Tão bom aprender as coisas de Deus. Porque como todo aluno que se preza deve passar por provas, todos nós, alunos de Jesus também deveremos passar pelas provas, as vezes essas provas são tão difíceis, tão duras, tão dolorosas, mas para quem estudou com o Mestre Jesus, acaba tirando de letra e tirando nota Dez, e o diploma é nada mais, nada menos, que ser feliz aqui no Reino dos céus e ganhar uma coroa de ouro lá no Reino de Deus.

Eu quero hoje dar os meus parabéns a todos aqueles que se dedicam a aprender as coisas que Jesus quer ensinar. Esses tiram notas boas na vida e jamais ficarão de recuperação. Nosso bom dia com Cristo vai para você querido aluno e discípulo do Senhor, que vai ter de fazer muitas provas, mais vai tirar só notão na escola da vida.

 

PARA MEDITAR

Pai de misericórdia,

Que destes o vosso Filho pela nossa salvação e sempre nos sustentais com os dons do vosso Espírito, concedei-nos comunidades cristãs vivas, fervorosas e felizes, que sejam fontes de vida fraterna e suscitem nos jovens o desejo de se consagrarem a Vós e à evangelização. Sustentai-as no seu compromisso de propor uma adequada catequese vocacional e caminhos de especial consagração. Dai sabedoria para o necessário discernimento vocacional, de modo que, em tudo, resplandeça a grandeza do vosso amor misericordioso. Maria, Mãe e educadora de Jesus, interceda por cada comunidade cristã, para que, tornada fecunda pelo Espírito Santo, seja fonte de vocações autênticas para o serviço do povo santo de Deus.

 

Tema: «A Igreja, mãe de vocações»

MENSAGEM DO PAPA FRANCISCO PARA O 53º DIA MUNDIAL DE ORAÇÃO PELAS VOCAÇÕES (17 DE ABRIL DE 2016)

 

Amados irmãos e irmãs!

Como gostaria que todos os batizados pudessem, experimentar a alegria de pertencer à Igreja! E pudessem redescobrir que a vocação cristã, nasce no meio do povo de Deus e são dons da misericórdia divina! A Igreja é a casa da misericórdia e também a «terra» onde a vocação germina, cresce e dá fruto.

Por este motivo, dirijo-me a todos vós, convidando-vos a contemplar a comunidade apostólica e a dar graças pela função da comunidade no caminho vocacional de cada um. A ação misericordiosa do Senhor perdoa os nossos pecados e abre-nos a uma vida nova que se concretiza na chamada ao discipulado e à missão. Toda a vocação na Igreja tem a sua origem no olhar compassivo de Jesus. A conversão e a vocação são como que duas faces da mesma medalha, interdependentes continuamente em toda a vida do discípulo missionário.

Um dos passos da vocação é a adesão à comunidade cristã da qual se recebeu o testemunho da fé e a proclamação explícita da misericórdia do Senhor. Esta incorporação comunitária compreende toda a riqueza da vida eclesial, particularmente os Sacramentos. A Igreja não é só um lugar onde se crê, mas também objeto da nossa fé; por isso, dizemos no Credo: «Creio na Igreja».

Deus chama-nos a fazer parte da Igreja e, depois dum certo amadurecimento nela, dá-nos uma vocação específica. O caminho vocacional é feito juntamente com os irmãos e as irmãs que o Senhor nos dá: é uma con-vocação. O dinamismo eclesial da vocação é um antídoto contra a indiferença e o individualismo. Estabelece aquela comunhão onde a indiferença foi vencida pelo amor, porque exige que saiamos de nós mesmos, colocando a nossa existência ao serviço do desígnio de Deus e assumindo a situação histórica do seu povo santo.

Neste Dia dedicado à oração pelas vocações, desejo exortar todos os fiéis a assumirem as suas responsabilidades no cuidado e discernimento vocacionais. Quando os Apóstolos procuravam alguém para ocupar o lugar de Judas Iscariotes, São Pedro reuniu cento e vinte irmãos (Atos 1, 15); e, para a escolha dos sete diáconos, foi convocado o grupo dos discípulos (Atos 6, 2). São Paulo dá a Tito critérios específicos para a escolha dos presbíteros (Tt 1, 5-9). Também hoje, a comunidade cristã não cessa de estar presente na germinação das vocações, na sua formação e na sua perseverança (cf. Exort. ap. Evangelii gaudium, 107).

 

Para rezar e cantar

Música 1: Cidadão do Infinito - Pe. Zezinho.

Música 2: O padre - Padre Antônio Maria e Elba Ramalho

Música 3: O chamado - Maria do Rosário, Jean Carlo e Padre Antônio Maria

Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Paróquia São Paulo, Pe. Cícero Machado Ribeiro, MSC

Em 01/08/2017 às 11:10h

Editorial do Bom dia com Cristo

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

Não são poucas as vezes em que ouvimos Jesus falar de sementes e plantios, agricultores e pastores. Para ele o simbolismo das coisas e das atividades da vida dos homens sempre foram muito significativas. E todas as vezes em que ele fala nos encanta a beleza, a verdade e a ternura com que fala. E olha que o que Jesus aprendeu foi o oficio de carpinteiro, ele era carpinteiro filho de carpinteiro. Eu gosto muito de Dizer que Jesus foi um adolescente muito parecido com qualquer outro adolescente. Eu digo isso porque a adolescência começa aos doze anos, quando acaba aquele período descompromissado da infância, e muitas mudanças começam a acontecer no corpo e na mente. Não foi muito diferente com Jesus. Foi nesta época dos seus doze anos, vocês devem lembrar, que ele fugiu dos pais dele. Quase deixou Maria e José loucos, procurando Ele e foi se meter lá no meio dos doutores da lei para discutir com eles quinem gente grande. Menino "danadinho" aquele. Ele disse que estava cuidando das coisas do pai dele. Mas graças a Deus seus pais o encontraram e ficou tudo bem. Maria ia guardando essas coisas em seu coração.

Daí por diante não ouvimos mais falar de Jesus. Ele vai aparecer dezoito anos depois quando já estava com 30 anos de idade. Nós havemos de nos perguntar, o que este menino ficou fazendo esse tempo todo? E não será muito difícil de responder: Basta olhar e ver como ele fala tão bem das coisas da vida. Fala dos reis e dos que não são reis... Fala dos pastores e das ovelhas, sem nunca ter tido uma fazenda sequer de gado. Fala dos agricultores e das sementes, sem nunca ter tido uma plantação. Fala dos administradores e dos vinhedos... Das montanhas e dos lobos, das pescarias, dos peixes, dos pescadores e de tantas outras coisas. Esse era o menino, o garoto, homem feito Jesus. Olhando tudo isso, vemos que Este Menino Deus aprendeu das sementes que devem morrer para viver de novo, aprendeu dos cordeiros que vão mudos para os matadouros, aprendeu que nas tempestades dos mares da vida apenas a força da fé pode acalmar, aprendeu dos reis que o melhor rei será aquele que se fizer servo e que quiser ser o último. Aprendeu que só vale a pena viver se a vida pode ser devolvida a com alegria numa taça de vinho fruto da semente que caiu em terra boa. E, enfim,  aprendeu que a mundo não acaba aqui, que a vida não acaba aqui, que a dor sim acaba aqui, e que nem qualquer dor e a morte nunca terão a última palavra na vida de quem soube ser um bom menino, um bom garoto e um homem de fé. 

Para todos que vivem cada dia da vida aprendendo de Jesus tudo o que ele viveu e quer nos ensinar Deus tem um destino de felicidade.

Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Paróquia São Paulo, Pe. Cícero Machado Ribeiro, MSC

Em 28/03/2017 às 09:23h

Face de Jesus na linha do tempo

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

Se nós fossemos criar uma linha do tempo para tudo o que vivemos na quaresma até o dia de hoje teríamos uma bela postagem que mereceriam ser curtidas muitas vezes. São cenas da vida de um homem e seus encontros marcados e marcantes na vida de tanta gente. Assim como os nossos encontros são marcantes na vida de tanta gente. São encontros inesquecíveis que até fazemos de tudo para guardar em fotos e enriquecidos com comentários que os outros fazem. Assim foi a vida daquele homem. Cheio de encontros marcantes. É como se ele mostrasse em muitas fotos e cenários alguns momentos da vida dele, exatamente como nós gostamos de fazer em nossas postagens. Uma viagem muito agitada cheia de novidades e cenários cada um mais interessante e bonito que o outro.

Eu tenho a impressão que ficaria mais ou menos assim: primeiro subir a montanha com três amigos chamados Pedro, Tiago e João, e mostrar-lhes todo o esplendor de uma vida que foi vivida intensamente, e chegar à conclusão de que morrer não é mais problema, justamente porque se está feliz... Que lutou, que amou na vida, que teve amigos, que construiu uma porção de coisas, que ralou muito, que trabalhou demais para construir um reino inteiro e chegar ao topo da montanha e de lá ver a Gloria da vida. Este homem soube viver, e seu rosto se transfigurava em alegria por saber que tinha o amor de tanta gente, especialmente de seu grande e poderoso Pai, a quem ele chamava de ABBA, ou de papaizinho, ou de Pai Nosso... E dizia com orgulho: "Eu sou o filho do Homem, que deve morrer e ressuscitar, Crês nisto, ele pergunta... Ele sabia que o Pai que é Nosso, no céu o estava de braços abertos depois de sua morte. As vezes não entendemos porque este homem não se importava em morrer, mas a vida deste homem nos mostra que a vontade de encontrar com o seu Pai que o enviou era mais forte que qualquer medo de morrer, por isso enfrentou a morte com coragem e a venceu.

Assim o filho do homem viveu. Fazendo amigos pelos caminhos onde andava. Falava verdades para as pessoas e dizia de seus sofrimentos e pedia que endireitassem a vida caso quisessem também encontrar com seu Pai, la no céu, e não somente com seu pai, bonito e bondoso, mas com todas as pessoas que moram lá na casa do seu Pai.

Assim ele andou pelas ruas e vielas, passando e esfregando a lama do pecado na cara dos que estavam enlameados, cegos e sujos, pela corrupção, pelos vícios de roubar, de enganar e de mentir para tirar proveito próprio explorando a vida dos pequeninos, dos pobres trabalhadores escravos. Ele deixa claro que todos devem se lavar nas águas do batismo, fazer parte de uma comunidade que parte e reparte o pão, que cuida dos bens do seu Pai que está nos céus e divide todos os lucros em iguais partes entre os irmãos, ao invés de querer escravizá-los obrigando-os a trabalhar até morrer de velhos cansados e abatidos sem poder desfrutar do fruto de seu trabalho.

Parabéns aqueles escrevem uma linha do tempo cheios de amigos e que são capazes de doar a suas vidas para libertar o povo de Deus da Escravidão. Essa é a linha do tempo da face do Homem de Nazaré.

PARA REZAR E MEDITAR

Existe um evangelho que fala da cura de um cego, que era mendigo, que vivia jogado a beira do caminho. Jesus passa, cospe no chão, faz lama e esfrega nos olhos do cego e ele passa a ver. A quaresma é bem isso mesmo. É um tempo em que Jesus esfrega a lama do pecado nos olhos de todo mundo. Quanta lama de dor existem nas guerras. Quantas vidas perdidas nos atentados à bomba, a facadas, e quantos gritos de dor. Meu Deus, a humanidade está cega de ódio, pela vingança, pelo dinheiro, a ponto de querer trazer de volta a escravidão onde uns se empanturram de dinheiro sem se importarem com quantas vidas terão de matar para conseguir satisfazer suas ganâncias.

Mas não tem de ser assim. As coisas podem mudar. Nada tem de ser tão doloroso, tão cheio de sofrimento e desespero. A boa vontade pode mudar tudo, bastaria que ninguém se metesse com as obras das trevas. Por isso eu te convido a pensar um pouquinho se você também está mexendo com as obras das trevas. Se você está ludibriando, enganando, tentando se dar bem as custas de outros. Se você está dominado pelo vício, seja do cigarro, ou do álcool ou de qualquer outra coisa, peça a Deus neste silêncio para te dar forças e se livrar das obras das trevas. Não se associe as obras das trevas que não levam a nada, antes desmascarai-a, lute contra ela. Abandone os vícios, venha para luz, participe de uma Eucaristia, vá diante da capela do santíssimo que está ai perto de sua casa. Deixe Deus iluminar a sua vida. Tu que dormes dentre os mortos levanta-te e sobre ti Cristo se resplandecerá.

Ouça a música: O Homem  - Cantor: Roberto Carlos,  e "O Sacramento da Cura" cantor: Pe. Marcelo Rossi

Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Paróquia São Paulo, Pe. Cícero Machado Ribeiro, MSC

Em 30/06/2016 às 11:11h

O Exemplo de Gente Boa

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

Hoje é o dia da morte de são Paulo. O Apóstolo Paulo em sua segunda carta a Igreja de Corinto relatou que houveram momentos em sua vida que passou fome e sede. Ele diz "Recebi dos judeus cinco quarentenas de açoites menos um. Três vezes fui açoitado com varas, uma vez fui apedrejado, três vezes sofri naufrágio,em fome e sede, em jejum muitas vezes, em frio e nudez." Até ser degolado pela espada. Tudo por Causa do Evangelho. Vocês já perceberam que a Igreja nunca celebra o dia do nascimento dos Santos? Mas sempre o dia de sua morte? Porque neste dia o senhor Nosso Deus celebra chegada dos Santos no céu. É o nascimento mais importante. Por isso a Igreja não celebra a morte, mas o dia da morte, como o dia da ressurreição dos Santos. Dia de receber as honrarias no céu. Coroa da glória.

Para meditar

Que sejamos fortes diante das doenças, das maldades que fazem com a gente, das coisas que temos de fazer todos os dias e de especialmente saber cuidar das coisas de Deus, sem preguiça, sem fazer corpo mole diante da dor e das perdas que temos de passar. Vamos assim imitar Paulo de Tarso - personagem bíblico - que passou por açoites, fome, nudez, miséria, mas fundou as igrejinhas chamadas de comunidades. Iguais às que a gente tem hoje. Todas para Deus, afim de levar alguns para o céu. Vamos então valorizar as igrejinhas de Cristo. As capelinhas perto das nossas casas. Paulo quis reunir o povo de Deus lá, nestas capelinhas e Igrejas para sermos salvos e levados para o céu no dia de nossa morte, assim como ele foi. 

Para rezar:

Ó São Paulo,

Padroeiro de nossa Paróquia e nossa Cidade,
discípulo e missionário de Jesus Cristo:
ensina-nos a acolher a Palavra de Deus
e abre nossos olhos à verdade do Evangelho.
Conduze-nos ao encontro com Jesus,
contagia-nos com a fé que te animou
e infunde em nós coragem e ardor missionário,
para testemunharmos a todos, que Deus habita esta Cidade
e tem amor pelo seu povo!
Intercede por nós e pela Paróquia São Paulo,
ó santo apóstolo de Jesus Cristo!
Amém

Musica sugerida: Viver para mim é Cristo (Fábio de Melo)


Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Paróquia São Paulo, Pe. Cícero Machado Ribeiro, MSC

Em 30/06/2016 às 10:55h

O que fazer para ser Santo? Aprenda com São Paulo

(Padroeiro da cidade de Muriaé)

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

É o feriado do dia do padroeiro da cidade de Muriaé. A antiga cidade de São Paulo de Muriaé. O santo protetor de Muriaé: São Paulo. No dia 25 de Janeiro nós celebramos o dia da conversão de são Paulo quando ele deixa de ser um perseguidor dos cristãos e passa ser um defensor do evangelho. Mas no dia de amanhã, dia 29 de junho, nós queremos lembrar uma outra face de Paulo. Um homem amante da Igreja de Cristo. Pessoa que tornou sua alma boa. Afinal os santos são gente de alma boa. Gente feliz. Gente que acredita que viver é bom. Que não dá importância para a dor, para as chibatadas da vida. Gente que gosta de viver. Gente que considera tudo como perda, em nome da riqueza que está reservada para quem consegue ser feliz naquilo que faz. Isso é ser santo. Descobrir que se está fazendo uma coisa muito errada e mudar de vida. Isso sim é ser santo.

Gente que quer fazer os outros felizes. Que quer ajudar aos outros. Que tem fé na vida e em Deus, e sabe que é preciso combater o bom combate, vencer a corrida e guardar a fé. Que tudo podemos naquele que os fortalece.

Para ser santo é apenas preciso saber que tudo nos é permitido; mas nem todas as coisas nos convêm fazer. Que ainda que falássemos a língua dos homens, e falássemos a língua dos anjos, sem amor, nada seria. E que quando se é fraco é que se é forte. E não esqueçamos que o verdadeiro perdão se reconhece pelos atos, muito mais que pelas palavras e o amor é sempre paciente e generoso. Nunca é invejoso, não é rude nem egoísta. Não se ofende nem se recente mas se regozija com a verdade. Que é preciso combater o bom combate e gradar e fé.

Até parece que essas palavras são todas minhas. Bem que eu gostaria de dizer estas palavras e que elas tivessem sido escritas um dia por mim. Mas não foram. São realmente palavras lindíssimas, mas que brotaram, há dois mil anos, dos lábios de são Paulo e de sua caneta, quando escreveu as cartas as comunidades.

Alguns filhos de Deus não acreditam nos santos. Tem medo de serem chamados de idólatras...

Não tem importância! Deus conhece seus corações e sabe das suas intenções.

Mas apenas gostaria de Dizer que esses que são, hoje chamados de Santos pela Igreja, e que são renegados por tantos irmãos, foram eles que nos trouxeram até hoje as Palavras do Evangelho de Cristo. Foram eles que fundaram as primeiras igrejas de Cristo. Foram eles que morreram defendendo a Igreja de Cristo.

Hoje podemos ver muitas igrejinhas por aí. Em todas elas está presente a bíblia. E as pessoas carregam esta bíblia com muito orgulho. Vemos pelas ruas tantas pessoas com ela debaixo do braço. Pois é, esta bíblia só chegou até as nossas mãos porque os santos de Deus, entre eles São Pedro e São Paulo, deram a sua vida para defende-la, e traze-la até nós. Para que nós a colocássemos nos nossos altares e debaixo do braço. Esses homens merecem de nós toda a reverencia e respeito. Não são eles ídolos para idolatrarmos, são gente de Deus, que vivem com Deus.

Seria bom que todos os homens e mulheres cristãs, pudessem agradecer a quem, com seu sangue e com a sua carne possibilitaram que a Salvação chegasse até nós através de suas próprias vidas. Porque esses deram a vida pelo Evangelho. A eles todo nosso respeito e amor.

PARA ORAR E MEDITAR: Oração de São Paulo

Glorioso Apóstolo São Paulo, vaso escolhido do Senhor para levar seu santo Nome por toda a terra; pela abrasada caridade com que tomáveis os trabalhos do próximo como se vossos fossem; pela inalterável paciência com que sofrestes perseguições, prisões, açoites, correntes, tentações, naufrágios e até a própria morte.

Pelo zelo que vos estimulava a trabalhar dia e noite em benefício das almas; e sobretudo pela prontidão com que vos rendestes imediatamente à graça, ao primeiro chamado de Jesus Cristo no caminho à Damasco; rogo-vos por todos os apóstolos de hoje, e também para que me consigais Senhor que eu imite vossos exemplos, ouvindo prontamente a voz da sua inspiração e lutando contra minhas paixões com total desprezo pelas coisas temporais e apreço pelas eternas, para a glória de Deus pai, que com o Filho e o Espírito Santo vive e reina por todos os séculos dos séculos. Amém.


Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Paróquia São Paulo, Pe. Cícero Machado Ribeiro, MSC

Em 23/06/2016 às 10:30h

A Emoção de Construir a Casa da Mãe

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

É muito bom compartilhar emoções. Mal sabemos o que poderia mexer com nosso coração. Por vezes coisas tão pequeninas mexem com a gente e nos faz os olhos arder, e não tem jeito, as lágrimas escorrem e no meio das lágrimas nos vem junto o sorriso da alegria e se misturam as emoções. Os olhos ficam embaçados descobrirmos então que estamos emocionados. A emoção é uma coisa muito interessante, ela vai contagiando todo mundo. Ainda mais quando esta emoção envolve uma porção de gente na mesma emoção.

Vocês devem estar pensando: Meu Deus, de que será que o padre Cícero está falando? - Pois bem, vou contar para vocês. O que me está comovendo foi a emoção de uma missa que celebrei. Num lugarzinho que não tem Igreja. Que só tem um barracão de telha de amianto sem paredes, alguns bancos, e lá no fundo uma imagem de nossa Senhora das Graças, linda e de braços abertos. Lá se reúnem, todos os domingos, um bocadinho de gente, umas senhoras, umas famílias, devotos e devotas de Nossa Senhora. Sempre antes da missa, anos a fio, aquela gente carrega de suas casas os utensílios para a missa: as toalhas, as roupas, as caixas de som... Como formiguinhas, montam toda as coisas para missa, mesas cadeiras, caixas pesadas...

Acaba a missa, lá vão todos eles de novo, levando tudo de volta para suas casas, e no coração um grande desejo de ter uma igreja para guardar as coisas de Deus.

Aquela gente vem juntando um dinheirinho há alguns anos, com o sonho de construir uma igrejinha para se reunirem e se protegerem do frio e do calor. Os anos foram passando e lá se vão oito anos, carregando para baixo e para cima suas coisinhas para celebração da vida na missa. O povo de Deus tem muita sabedoria quando fala das coisas de Deus. O povo fala: Deus não dorme nem cochila. E é verdade. Por isso é sempre tão bonita as coisas que Deus faz. Ele tem visto o esforço daquele povo, lá do Vale do Castelo. Então ele providenciou uma noite de muita alegria e emoção. Celebramos lá a missa de lançamento da pedra fundamental da Igrejinha que eles tanto sonham, a Igrejinha de Nossa Senhora das Graças, e quanta emoção todos nós sentimos.

Na homilia, eu quis ouvir o povo de Deus contanto as histórias de quando celebravam nas garagens, e nas ruas, no terço das casas, depois no barracão e agora com a promessa de que terão a Igreja que começará a ser construída nesta semana. Graças a Deus.

Lá, onde vai ser construído o altar para a Igreja de Nossa Senhora que abençoará com suas graças todo o Vale do Castelo, foi colocada a pedra fundamental. Com muita emoção, guardamos, num buraco feito debaixo de onde será construído o altar, uma arca de madeira de lei contendo as marcas do dia: um terço, uma imagem de nossa Senhora das Graças, com sua novena e a medalha milagrosa; um jornal com as notícias daquele dia; a planta da igreja, e a assinatura de todos os que estavam presentes. Depois colocamos encima de tudo isso a pedra que selava, ali, a história de pessoas que lutaram para ver sua Igrejinha sendo construída.

Deus louve as pessoas que se emocionam ao ajudarem a construir a Igreja de Deus em seus corações, e choram de emoção quando veem sua Igreja bonita, bem arrumada, iluminada e feliz. Feliz povo lá do Vale do Castelo, aqui em Muriaé, que chorou ontem a emoção de ver colocada em sua Igreja a primeira pedra, a pedra fundamental da Igreja de Nossa Senhora das Graças.

Oração pela Igreja

Suba até vós,
Pai bondoso,
a oração deste povo
que filialmente Vos adora,
celebra e ama.
Confirmai, Senhor, a nossa fé.
Concedei-nos a força
de a professarmos com sinceridade
e a difundirmos
com entusiasmo entre os homens,
Vossos filhos e nossos irmãos.
Dai-nos, Pai Clementíssimo,
a esperança que não engana
e que nos garante o ministério
da Igreja Santa do Vosso Filho
e Senhor Nosso Jesus Cristo.
Confirmai-nos na caridade
que supera todo o bem,
difundida no nosso coração
pela graça inefável do Espírito Santo.

Dai-nos forças para construirmos juntos a suas colunas 
e suas paredes, mas que não nos esqueçamos
de construir a nossa fé e nossa esperança.

Iluminai, Senhor, os nossos pastores,
para que, unidos, ao rebanho e à Sé de Pedro,
deem novo impulso
à evangelização no mundo.
Alente a nossa oração
à intercessão materna
de Maria Santíssima
e dos Santos, nossos protetores.
Amém.

Música sugerida:  Cidadão (Zé Ramalho) 

PORQUE REZAR?

Jesus, nos momentos mais fortes de sua vida sempre se retirava para rezar. Ou ia para o deserto, ou subia uma montanha, ou mesmo sozinho, no quarto, ele rezava. Quando as coisas ficavam muito difíceis, ele gostava de ficar um pouco sozinho para rezar. Conversar um pouco com Deus, sobre suas angustias, suas preocupações, e sobre tanta coisa que tinha de realizar. Era um homem de muita oração, silêncio, e sobretudo fé. Nós hoje somos muito barulhentos. Vivemos numa correria danada. Dificilmente estamos sozinhos ou buscamos ficar um pouco sozinhos para conversar com Deus. Dentro de casa por vezes tem tanto barulho das crianças e da televisão e de muita música. Não temos mais montanhas, nem desertos para caminhar.

Para meditar:

É bem verdade que não temos mais montanhas nem desertos, mas temos as capelas dos Santíssimos na nossa cidade. Tem sempre uma igreja, uma capelinha ou uma igrejinha. Deus vai gostar da nossa atitude de passar lá na capela, ficar lá um pouquinho sozinho. Em silêncio. Não precisa dizer nada. É só começar a pensar nas coisas da nossa vida. Na falta de paciência, ou nas contas que temos de pagar. Ou na falta do dinheiro. Ou na saúde da gente que tá fraca. Não importa, esta será a nossa oração, aqueles pensamentos que vem quando a gente tá rezando, eles são a nossa oração. É o que vivemos que será sempre a nossa oração.

Para rezar:

Meu Senhor,

Sei que para vós não há 'beco sem saída', não há problema sem solução. Sei que o Senhor pode fazer jorrar água da pedra e sei que pode transformar água em vinho e pedras em pães. Sei que o Senhor dá ordens aos ventos e ao mar... Eu sei, Senhor que o Senhor cuida das aves do céu e dos lírios dos campos, que não semeiam e não ceifam, e o Senhor lhes dá o alimento e as vestes, que valem muito menos do que nós. Eu sei de tudo isto, Senhor, mas a minha fé é fraca; me perdoe, me cure e aumente a minha fé, Senhor! Eu não desisto de procurar-Te e de alcançar uma fé firme. Sei que o Senhor cuida de mim. Diante de cada problema quero te perguntar: Como vamos resolver isto, Senhor? Dá-me tua sabedoria e tua força. Não permita Senhor que a desânimo nunca tome conta de mim. Quero alegrar-me SEMPRE no Senhor, Em Teu Nome, eu lanço todas as minhas preocupações.

Música 1: AMAR E REZAR PE.ZEZINHO SCJ

 


Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Paróquia São Paulo, Pe. Cícero Machado Ribeiro, MSC

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

Existe dentro nós, uma batalha interminável: de um lado as tendências do nosso coração para sentir coisas ruins. Num lapso de momento somos capazes de sentir tanta raiva, tanta decepção, tanta desilusão, que se não tomarmos cuidado se transformarão em ressentimentos e rancores. Do outro lado, opera a Graça de Deus. Ela nos diz que não devemos sentir coisas ruins. Que devemos relevar. Que os outros são assim mesmo. Que Deus é maior. Aí é que o conflito dentro de nós fica mais doído. Queremos ser bons, mas temos em nós sentimentos ruins que querem falar mais alto. Logo aparece um nó na garganta, uma dor doida, uma fraqueza e, na maioria dos casos, a única válvula de escape é chorar um pouco, num canto qualquer, e deixar o coração desabafar. A graça e o pecado vão agindo dentro de nós. Uma luta que apenas poderá ser vencida por quem tem fé na graça de Deus ela será sempre a vencedora, mas para quem não vive a fé não conseguirá perceber a ação da graça salvadora de Deus.

É bom sempre buscar dentro de nós alguma mágoa que possamos estar sentindo com relação a alguém que nos feriu ou nos magoou. Poderemos perceber que naquele momento a graça de Deus agiu. Que o sintoma de que Deus estava presente é de que hoje somos melhores, que aprendemos mais coisas, temos mais amigos do que perdemos. Aquela lágrima que caiu de nossos olhos e rolou pela nossa face foi a mesma que lavou o nosso coração e nos fez purificados, nos encheu de graça a ponto de podermos sorri mais, brincar mais, fazer mais amigos, e se você não conseguiu ainda alcançar esta graça, peça a Deus agora, que ele a conceda a você. E pense que você na verdade pode contribuir para que alguém fosse também melhor por sua causa.

PARA MEDITAR E ORAR

Sábio Espírito Santo:

Ajude-me a fazer o que for mais adequado, da maneira mais amorosa possível. Elimine da minha mente e do meu coração todos os julgamentos, projeções e preconceitos. Elimine da minha mente e do meu coração todo o medo, raiva, mágoa e ressentimentos passados. Ajude-me a ver de maneira clara, serena e honesta tudo o que aconteceu e venha a acontecer em minha vida. Ajude-me a falar com compaixão e generosidade. Ajude-me a ter coragem de enfrentar a verdade sem nada omitir ou distorcer. Senhor, inspire-me com a sua sabedoria a escolher bem cada palavra, para que não venha a magoar e nem ferir ninguém que eu amo. Abra a minha mente, meu coração e os meus ouvidos para escutar as pessoas com o mesmo desejo de entendimento e paz que eu mereço. Abra a minha mente, meu coração e meus ouvidos para acolher com amor e respeito as respostas que preciso dar a quem me ofender, para que não tenha motivos de guardar nenhuma mágoa dentro do meu coração. Senhor, desejo que a verdade dita e ouvida com afeto e respeito promova uma relação mais aberta, franca e amorosa entre mim e as pessoas. No mais Senhor, dá-me a graça de esquecer mágoas e ressentimentos antigos, a fim de que somente a tua graça me baste. Eu agradeço, E assim seja!

 

Música sugerida para ouvir e rezar
Foi por Você (Anjos de Resgate)

Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Paróquia São Paulo, Pe. Cícero Machado Ribeiro, MSC

Em 10/05/2016 às 13:33h

Unidos seremos mais Forte

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

Estamos na Semana da Unidade dos Cristãos. Só que existe uma grande confusão, e até uma briga entre os Evangélicos, católicos, e protestantes. Vivemos desunidos. Acontece até de um falar mal dos outros. E ainda assim se dizem cristãos. Em vez de unidade, temos uma "desunidade", desunião. A semana da unidade é uma semana que rezamos a Deus para que possamos acabar com essa desunião.

Vamos entender a semana da unidade entendo primeiro a história da Torre de Babel. Todos nós de alguma forma, já ouvimos falar desta História na Bíblia. Ela está no Livro do Gênesis no capítulo 11 e versículos de um a nove. Conta a Bíblia que houve um tempo em que todos os povos falavam a mesma língua. Todos se entendiam. Não haviam idiomas diferentes. Porém, este povo decidiu que queriam chegar ao topo do Céu. E de lá não sairiam mais. Motivados pela vaidade, queriam chegar até Deus.

A Bíblia conta que Deus ficou muito irritado com a pretensão do ser humano, e decidiu confundir todas as línguas, e deste tempo então ninguém mais se entendia. A Torre foi destruída e cada qual com sua própria língua se espalhou por todo o mundo. De lá para cá a humanidade não se entende mais. Há os que dizem que este é o motivo pelo qual no mundo se fala tantas línguas, tantos idiomas e dialetos, que nem dá para contar.

Por outro lado, os evangelhos contam que após 50 dias da ressurreição de Jesus, ele aparece aos discípulos e sopra sobre eles, eles começam a falar em línguas diferentes e todos os povos podiam entendê-los na sua própria língua. A este dia se chamou Pentecostes. Por isso Pentecostes é o contrário de Babel. Se em Babel todos passaram a não mais se entender, em pentecostes é possível que todos se entendam falando línguas diferentes.

Entre os cristãos existe uma verdadeira Torre de Babel. Todos Gostam de Cristo, mas ninguém se entende. Pentecostes aconteceu 50 dias depois da ressurreição de Jesus. Passaram-se mais de 2000 anos e ainda temos a divisão entre os cristãos. Avisamos aos navegantes, que quem ficar procurando uma explicação para todos esses acontecimentos, queiram entender que Pentecostes foi o envio dos apóstolos para falar a mesma língua que todos os povos possam entender, ou seja, a linguagem do Evangelho, que se espalhou por toda a terra. O evangelho pode ser entendido por todas as nações. Todos os povos. Todas as línguas. Tanto que temos o evangelho em todos os confins da terra.

Onde há confusão, onde ninguém se entende, onde há discórdias e brigas, ali é a Torre de Babel.

A Igreja católica pede, nesta semana, que todos os que se dizem cristãos, ou seja, os evangélicos, protestantes e católicas, possam se unir numa só fé, num só batismo, numa só doutrina para professar a fé no Cristo que nos une, mas que nós humanos acabamos nos separando por brigas entre doutrinas.

A Igreja espera que todos os povos, de todas as igrejas e religiões que falam de Cristo, possam um dia se unir. Nesta semana que finda com o Domingo de pentecostes, a Igreja rezará para que acabe as brigas e as confusões entre católicos e evangélicos e nos unamos todos para fazer com que todos sejam um como Jesus e o Pai são um. Se nós como cristãos temos tanta dificuldade de nos unir como poderemos então unir o mundo que se mostra tão desunido?
Nosso Bom dia com Cristo desta manhã vai para todos os cristãos que amam a Cristo, falam a mesma língua do amor, e se unem para construção de um mundo melhor, cheio do evangelho de Jesus.

O Dia de Pentecostes. Dia em que Deus nos envia o seu Espírito. É como se daqui para frente nós não tivéssemos mais Espírito de gente, tivéssemos Espírito de Deus. É bem assim... Quando temos com espírito de gente, podemos ser bons e podemos ser maus. Podemos ser confusos, impacientes, guardar rancores e ódios, podemos ser maledicentes, fracos nas nossas decisões e frios diante da dor dos outros. Mas quando a gente tem o Espírito de Deus, tudo passa a ser diferente. Passamos a ter um espírito capaz de nos dar a coragem necessária para enfrentar o dia a dia e resolver os problemas sem ficar chorando pelos cantos. Ter Espírito de Deus é tão simples assim.

PARA MEDITAR

Receber o Espírito de Deus não é tão difícil quanto parece. Pentecostes é o dia em que Deus troca o nosso espírito de gente, pelo seu Espírito. Receberemos os dons necessários. A sabedoria para saber fazer o que devemos fazer com coragem e sem moleza. Teremos a ciência para entender o que podemos e o que não podemos fazer. O que nos convém e o que não nos convém. Poderemos ser bons conselheiros, e encaminhar quem depende de nós pelos caminhos do bem. Ter o Espírito de Deus é entender que tem gente que precisa da nossa ajuda e da nossa palavra, por isso devemos nos inspirar na Palavra de Deus para nos orientar e quem mais precisar de nossa orientação. Não viva por esta vida somente contando com seu próprio espírito, é uma bobagem viver assim, somos muito fracos sem Deus. Tenha consciência de que você precisa ter o Espírito de Deus em você.

A oração a seguir nos ajudará a entender as coisas de Deus.

Espírito Santo:
Dai-nos o Dom da Sabedoria
Para que possamos avaliar todas as coisas à luz do Evangelho E ler nos acontecimentos da vida os projetos de amor do Pai
Dai-nos o Entendimento
Uma compreensão mais profunda da verdade a fim de anunciar a salvação com maior firmeza e convicção
Dai-nos o Dom do Conselho
Que ilumina a nossa vida e orientai a nossa ação segundo vossa Divina Providência
Dai-nos o Dom da Fortaleza
Sustentai-nos no meio de tantas dificuldades com vossa coragem para que possamos anunciar o Evangelho
Dai-nos o Dom da Ciência
Para distinguir o Único Necessário das coisas meramente importantes
Dai-nos Piedade
Para reanimar sempre mais nossa íntima comunhão convosco E, finalmente, dai-nos vosso santo Temor
Para que, conscientes de nossas fragilidades, Reconhecermos a força da vossa graça.
Vinde Espírito Santo
E dai-nos um novo coração. Amém.

Música 1: Vem Espírito Santo (Eliana Ribeiro) 

Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Paróquia São Paulo, Pe. Cícero Machado Ribeiro, MSC

Em 05/05/2016 às 07:32h

Amar de verdade = Fidelidade

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

É muito bom ler a Bíblia. Até vemos muita gente andando pelas ruas com a bíblia na mão. Também vemos pessoas lendo a bíblia nos pontos de ônibus, sentados nas praças, outros nas filas de espera. E não são poucas as pessoas que leem, interpretam e fazem questão que os outros escutem o que estão lendo. Porém, o melhor mesmo, é quando estamos juntos, todos sentadinhos lá na Igreja e alguém vem nos ensinar o que estamos lendo ou ouvindo. Escutar uma pregação bem feita e bem preparada é muito bom. Descobrimos coisas fantásticas acerca do pensamento de Deus para nossa vida, também para o nosso dia a dia. Para os nossos relacionamentos.

Por exemplo, neste final de semana a grande questão para os nossos fiéis seria descobrir no evangelho o sentido da expressão de Jesus, quando, lá na santa ceia, ele chama os discípulos de filhinhos. Ele Diz: Filhinhos, mais um pouco e vocês não me verão mais. Ele já falava isso com uma imensa saudade de seus discípulos. Aí eu fiquei pensando que Jesus neste momento em que chama os discípulos de filhinhos, deixa de ser o irmão, e passa a ser o papai de todos eles. Assume ali a trindade Santa, sendo ele o Filho, chama os amigos de filhos.

Em uma outra ocasião, um dos seus discípulos chamado Felipe, pediu a Jesus: Mestre mostra-nos o Pai. Ao que Jesus respondeu. Filipe tanto tempo comigo e ainda não me conheces. Naquela resposta o apóstolo Filipe ficou assustado porque descobriu que ali, na sua frente, não apenas estava presente a pessoa do Deus Filho, mas também a Pessoa do Deus Pai.

Assim foi neste domingo na Igreja, com as leituras da missa, quando Jesus se dirige aos apóstolos como sendo seus filhinhos. Assim toda a Igreja se sentiu nos braços de Cristo, com o carinho de um Pai.

Infelizmente havia na santa ceia um traidor, Judas Iscariótes, que antes de ouvir este tamanho carinho de Jesus, saiu para entrega-lo a Pilatos.

Então pensamos, uma pessoa que ama pode trair outra pessoa que ama tanto, trata com tanto carinho a pessoa amada, mas é traída.

No caso de Judas Iscariótes, ele logo que descobriu o mal que tinha causado a quem o amava tanto, se enforcou.

Na Igreja, quantos abandonaram sua doutrina para seguir outras doutrinas que não são ruins, mas que vão contra a tudo o que sempre acreditamos. Isso é traição. Deixar de acreditar na Trindade Santa. Onde Deus é trino, ou seja, Pai filho e Espirito Santo, quando ele mesmo chama seus apóstolos de Filhinhos e Diz que quem o vê, vê o Pai.

"Amai-vos uns aos outros como eu vos amei". Disse Jesus. Amar como Cristo nos amou é muito simples. Quer dizer: Amar com fidelidade, com lealdade, com uma preocupação. Sem abandonar, suportando as dores que os compromissos nos trazem. Amar com o cuidado de não ferir, de não magoar. A palavra certa, na verdade é amar com verdade.

Não foi nem uma, nem duas vezes em que ouvimos lá nas Sagradas Escrituras que tudo nesta vida vai passar. Já ouvimos muitas vezes as pessoas nos consolarem dizendo: calma, espere o tempo passar, e tudo vai ficar bem. Mas na verdade, no momento em que estamos vivendo certas situações, parece que o tempo não passa nunca. Os dias se arrastam, as noites ficam longas. Uma grande ansiedade toma conta da gente para resolvermos com pressa os problemas que a vida nos traz. Nestes momentos estamos muitos propensos a fazer uma série de bobagens e depois nos arrependermos. Na maioria dos casos, quase não tem volta o que falamos e o que fazemos. Corremos o risco de estragar e ferir o que para nós sempre foi tão precioso.

Para meditar:

Primeiro é preciso se manter sempre com o espírito forte. Entender que por vezes é preciso que passemos por algumas aflições. Ter a certeza que pode estar ali a ação de Deus, mesmo na aflição, momento de alguma crise. Será que já conseguimos pensar que pode ter sido o próprio Deus quem gerou aquela crise para que pudéssemos resolver algo que não estava tão bem como pensávamos? Precisamos acreditar que tudo realmente nesta terra vai passar. Não tem como não passar por aflições, por enganos, por apertos. Mas se acreditamos na Palavra de Deus, devemos acreditar que coisas novas acontecerão. Que Deus está no comando. Que nestes momentos será preciso sempre fazer silêncio. Ficar um pouco só com Deus. Reforçar as esperanças no que queremos e buscar em nós o que será mais importante conservarmos. Por isso é muito importante nos colocarmos vez em quando diante do Santíssimo, e conversar com Deus e assim ver o que ele quer de nós diante das situações que estamos vivendo.

Para orar:

Vamos rezar esta oração que nos ajudará a entender as coisas de Deus.

Meu Senhor e Deus, eu sou tão convicto de que cuidas de todos os que esperam em Ti e que nada pode faltar àqueles que esperam tudo de Ti, que decidi, dirigir a Ti toda minha inquietude.

As pessoas podem despojar-me de todos os bens e mesmo da minha honra; as doenças podem privar-me das forças e dos meios para servir-te; com o pecado posso até perder a tua graça, mas não perderei nunca jamais a minha confiança em Ti.

Meu Deus, sou intimamente persuadido de que não será jamais exagerada a confiança em Ti e que o que obterei de Ti, será sempre muito mais do que o que terei esperado.

Espero também, Senhor, que Tu me sustentes nas fáceis debilidades; me sustentes nos assaltos mais violentos; faças triunfar a minha fraqueza sobre os meus temidos inimigos.

Tenho muita confiança que Tu me amarás sempre e que também eu, por minha vez, te amarei para sempre.

E para levar ao mais alto grau esta minha confiança, ó meu Criador, eu espero-o de Ti mesmo, pelo tempo e pela eternidade. Amém.

Ouça esta música:

Deus De Promessas - Padre Juarez De Castro


Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Paróquia São Paulo, Pe. Cícero Machado Ribeiro, MSC

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor
Quero te fazer uma pergunta: Você tem consciência do porquê hoje se comemora o dia internacional da mulher. Vou dar três segundos para você se lembrar. 1, 2, 3 pronto, se lembrou?

Será que é um dia de ganhar presente? Será que é o dia de ganhar flores do marido ou do namorado? Ou então é o dia do patrão dar um agrado?

Para as que se lembraram parabéns. Para as que não se lembraram, ou mesmo que nem sabiam. Eu lamento muito.

O dia internacional da mulher é, de fato, um desses casos em que nossa memória falha e esquece a história das coisas. Os homens de nosso tempo têm memória muito curta. Às vezes até muito conveniente. Apagam-se no tempo histórias incríveis e o sentido das coisas vai se perdendo ao longo da História. Quero lembrar que hoje é dia de luta, dia de busca de dignidade, dia de justiça, dia de rememorar todas aquelas mulheres que deram a sua vida, morreram mesmo lutando por dias melhores para seus filhos. Pararam as fábricas, lutaram contra seus patrões opressores. Foram para as ruas. Fizeram greves. Foram assassinadas, espancadas. É... Espancadas, como aquelas professoras que foram espancadas no sul do Brasil há menos de um ano porque lutavam por um salário melhor. Saibam todos e todas vocês que este foi o motivo de se criar o dia Internacional da mulher. A ideia de criar o Dia da Mulher surgiu nos primeiros anos do século XX, nos Estados Unidos e na Europa, no contexto das lutas femininas por melhores condições de vida e trabalho, bem como pelo direito de voto.

Hoje é dia de louvar a mulher de luta, que não se deixa explorar, que sai cedo de casa para o trabalho, e chega em casa à noite e deixa a roupa de molho para lavar no outro dia. Aquela mulher que acorda as cinco horas da manhã para deixar o almoço pronto antes de sair. Aquela que racha as despesas da casa e não se deixa humilhar pelo marido machista, e nem leva tapa na cara sem leva-lo na justiça. Esse é o dia internacional da mulher, que mesmo sem sair de casa trabalha tanto quanto estivesse fora de casa que arruma, limpa e lava e costura, sem perder o perfume, graça e sensualidade para agradar seu amado e nem a ternura para dar um beijo em seus filhinhos, merece ela ser mais amada e acarinhada.

É uma pena que nossa memória transformou este dia memorável em mais uma data comercial. De enfeites e decorações e buquê de rosas. Quero dar os parabéns a todos os homens que hoje vão levar um buquê de rosas para sua mulher, não porque quer fazer uma média entrando no ritmo do comércio, mas porque sabe que sem a força da mulher, a vida, as lutas do dia a dia, ficam mais difíceis de serem vencidas.

Para orar e meditar

Queremos rezar pelo dia internacional da mulher.

Conta a bíblia que, lá pelo sexto dia da criação do mundo, Deus criou o Homem. Moldou-o com suas próprias mãos. Era a peça mais importante de toda a sua criação. Mas não era o toque final. Eis que o toque final surgiu de um pedido do homem ao seu criador, que lhe desse uma companheira semelhante a ele. Deus fez então o homem cair num sono profundo, e lhe cria a mulher, como se ela nascesse de um sonho, o sonho mais belo, mais formoso, mais encantador. Uma companheira com que se podia brincar e rir, correr e comer com a alegria o pão da união e da vida. A felicidade estava feita e Deus viu que tudo o quanto fizera era bom e feliz.

Hoje temos algumas desordens. Mas tudo pode voltar a ser como era antes. Tudo pode ser como Deus pensou. Deus pediu que houvesse somente o domínio sobre as coisas e sobre os animais. Que as coisas poderiam ser usadas, mas nunca permitiu que o homem usasse a mulher e que nem a mulher usasse o homem, por isso fez nascer a mulher do lado da costela para ser abraçada, para estar do lado, para ouvir palavras ao pé do ouvido, para andar de mãos dadas.

Não se pode inverter o pensamento de Deus. O homem não pode dominar a sua companheira. Deus não fez a mulher para ser usada, mas sim para ser amada. Quem usa a mulher por puro prazer certamente pagará muito caro para ser infeliz. Que Deus abençoe todos os homens que amam as suas mulheres e as fazem felizes. Esses cumprem o pensamento de Deus ao criar a coisa mais bela e perfeita do universo: A mulher.

Obrigado Senhor por teres criado no mundo a mulher

E por tê-la enriquecido com preciosos dons:

o carinho, a sensibilidade, a beleza,

a ternura, a dedicação e o amor.

Deste ao homem a graça de encontrar

na mulher: uma amiga, irmã,

companheira, esposa e mãe.

Nela se processa o mistério da vida,

sendo capaz de gerar,

de trazer à luz filhos e filhas.

Sem sua presença no mundo,

o amor estaria fadado à extinção.

E o mundo ficaria pobre e sem sentido.

Perdoa-nos, Senhor,

por nem sempre sabermos reconhecer

o verdadeiro valor da mulher,

por muitas vezes a considerarmos objetos,

sexo frágil e força de trabalho doméstico.

Que também a mulher reconheça seu valor,

sua dignidade e sua missão no mundo.

Que ela não aceite ser instrumentalizada

nem banalizada no seu corpo e nos seus

sentimentos.

Que no corpo e na alma de cada mulher,

possamos continuar encontrando os sinais

de MÃE que nela plantaste, Amém. Isto tudo Te pedimos pelos merecimentos de Jesus Cristo

Vosso Filho amado. E pela intercessão de Nossa Senhora Mãe da Divina providência.

Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Paróquia São Paulo, Pe. Cícero Machado Ribeiro, MSC

Fotos

Rua Dr Afonso Canedo, 47 Muriaé - MG, 36880-000 - 32 3722-2363 | Todos os direitos reservados a Paroquia São Paulo

Todos os direitos reservados a