Padre Cícero Machado

Em 19/09/2017 às 10:25h

Aprender a dominar os Instintos

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Conheça o autor

A liturgia da Igrejanomes de setembro dá uma ênfase especial à Bíblia. Oferecendo-lhe um local de destaque dentro de nossas celebrações. Dando-lhe uma melhor visualização no espaço de nossas Igrejas. Dedicamos todo este tempo, ou seja trinta dias de um mês para voltarmos um olhar mais atento a Palavra de Deus. Parece até que é pouco tempo, mas talvez seja o tempo suficiente para entendermos o quanto nossa vida depende de tudo quanto a Bíblia tem para nos ensinar. Nossa vida inteira pode passar como num fio condutor se a colocarmos diante da Palavra de Deus.

A começar pela gama de sentimentos nós são coisas que são difíceis de controlar. Dentre eles estão a raiva, o rancor, o ódio. Não adianta dizer que não sentimos estas coisas terríveis. O livro do Eclesiástico nos diz que dentro de nós existem todas essas coisas, é preciso que saibamos dominá-las. Afinal quando alguém faz algo que nos atinge o primeiro sentimento que temos é a raiva, e não o perdão. Deveria ser o contrário, mas não é. E não são poucos os casos em que a raiva evolui para o ódio, do ódio ao sentimento de vingança. A bíblia pede que tomemos muito cuidado com as coisas que sentimos, porque podemos perder os dons de Deus à medida que passamos a deixar de usá-los. Não custa muito, quando estamos com raiva de alguém, ou no meio de uma briga banhada em raiva, dizer as celebres expressões: não fale mais comigo... Pronto lá se vai o dom da escuta. Ou se diz: não quero falar mais com você, pronto, lá se vai o dom da palavra. Ou se diz não olhe mais para minha cara. Pronto, lá se vai o dom do olhar. E assim por diante até se chegar a mais fatídica de todas as expressões do ódio: Eu quero que você morra. Neste momento se perdeu toda a graça e os maus desejos passaram a ser incontroláveis.

Contra todo esse repertório de coisas que podem destruir o ser humano, a Bíblia nos traz o remédio. Um deles é olhar para si e para Deus. Ainda o livro do Eclesiástico mostra as incoerências de quem sente ódio e a raiva e não consegue controla-las. Quem tem raiva não pode pedir a Deus a cura. Se não tem compaixão, e compaixão é sentir dentro de si os motivos que levaram alguém a praticar o mal. Se não conseguimos nos colocar no lugar do outro que precisa de perdão, como pediremos pedir perdão?

A Bíblia nos convida a, nestes momentos, pensar na destruição e na morte e perseverar nos mandamentos.

Não é à toa que a Bíblia é chamada de o livro das leis. Sim, porque precisamos de leis para nos orientar. Nossos instintos precisam ser dominados, não conseguiremos fazer isso sozinho. Uma criança precisa de normas dadas pelos seus pais para serem bons. Uma criança de um ano, não sabe quase nada. Se ficar irada ela é capaz de morder a própria mãe. Precisa de elementos para aprender a dominar sua raiva.

A pouco tempo era possível um marido espancar sua mulher sem receber nenhuma punição, hoje temos leis que o bloqueiam da violência contra a mulher. Com isso quero dizer que as leis da bíblia são perfeitas para nos ensinar a dominar os nossos instintos mais terríveis. Como a vontade de matar, de roubar, de adulterar, de cobiçar, de maltratar pai e mãe e assim por diante. Uma criança que cresce sem conhecer as verdades sobre o relacionamento entre os seres humanos, em família, em grupo fatalmente trará muito dor para a sua família e sociedade.

Podemos dizer que existem pessoas que são ruins mesmo conhecendo a palavra de Deus. Mas devemos pensar que elas seriam muito piores se não conhecessem.

Por isso peço com veemência aos senhores pais e mães, e a todos os cristãos e também não cristãos, ensinem os seus filhos ouvirem a Palavra de Deus desde pequeninos. Leve-os a Missa que é o melhor lugar para se encontrar com a verdade e aprender as coisas do amor. Saber superar os instintos perversos e os apelos para o mal.

Não existe outro caminho para aprender a viver bem, ser feliz e amar na vida que não seja pela Palavra de Deus que nos criou, e nos salvou de nós mesmos.

 

PARA MEDITAR

Senhor, que nosso coração seja sempre terreno fértil para acolher a tua Palavra. Que saibamos espantar os pássaros do egoísmo e da ganância, que impedem tua Palavra de brotar. Que saibamos retirar as pedras do orgulho e da vaidade, que impedem tua Palavra de criar raízes. Que saibamos arrancar os espinhos da injustiça e da exploração presentes no mundo, que sufocam a tua Palavra. Que saibamos adubar nosso coração com o Amor e regar com a Paz, para que tua Palavra possa gerar frutos e fazer florescer o vosso Reino.

Jesus Mestre, que dissestes: "Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, eu aí estarei no meio deles", fica conosco, aqui reunidos, para melhor meditar e comungar a tua Palavra. Sois o Mestre e a Verdade: iluminai-nos, para que melhor compreendamos as Sagradas Escrituras. Sois o Guia e o Caminho: fazei-nos dóceis no vosso seguimento. Sois a Vida: transformai nosso coração em terra boa, onde a Palavra de Deus produza frutos abundantes de santidade e apostolado. Dou-Te graças, meu Deus, pelos bons propósitos, afetos e inspirações que me comunicastes nesta meditação; peço-Te ajuda para os pôr em prática.

Com Maria, Mãe, Mestra e Rainha dos Apóstolos,

guardaremos a vossa Palavra, meditando-a em nosso coração.

Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida,

Tem piedade de nós. Amém.

Para rezar e cantar

Música 1: Troque o ódio pelo amor - Padre Alessandro Campos

Música 2:Palavra do meu Senhor - Zé Vicente


Autor: Padre Cícero Machado


Tags relacionadas: Pe. Cícero Machado Ribeiro, msc

Fotos

Rua Dr Afonso Canedo, 47 Muriaé - MG, 36880-000 - 32 3722-2363 | Todos os direitos reservados a Paroquia São Paulo

Todos os direitos reservados a